CONCILIAÇÃO TRABALHO-FAMÍLIA E SATISFAÇÃO PROFISSIONAL PERCEÇÃO DOS DOCENTES RELATIVAMENTE À CONCILIAÇÃO TRABALHO-FAMÍLIA E SATISFAÇÃO PROFISSIONAL

Autores

  • Sara Gomes
  • Eugénia Silva
  • Rui Resende

DOI:

https://doi.org/10.25746/ruiips.v3.i6.14406

Resumo

A satisfação profissional docente aliada à díade conciliação trabalho-família constituem dimensões fundamentais para a satisfação geral do indivíduo. Indagar a perceção dos docentes relativamente à conciliação trabalho-família, bem como a respeito da sua satisfação profissional constituiu o objetivo geral do presente estudo. Como objetivos específicos, pretendemos verificar se existem diferenças significativas entre as variáveis independentes: (a) sexo; (b) idade; (c) tipo de ensino; (d) tempo de experiência; (e) situação profissional; (f) remuneração; (g) número de disciplinas que leciona; (h) previsão da reforma e (i) filiação sindical relativamente à conciliação trabalho-família e à satisfação no trabalho.
Através de um questionário em que participaram 330 professores do ensino básico e secundário do ensino publico e privado, verificou-se, após a avaliação das qualidades psicométricas do instrumento, a emergência de dois fatores nomeados de: (a) conflito trabalho-família e (b) conflito família-trabalho.
Verificámos que existem diferenças significativas relativamente ao sexo. As professoras percecionam uma maior conflitualidade trabalho-família. Quanto à idade, constata-se que os professores mais jovens percecionam uma maior satisfação profissional. Considerando o tempo de experiência, verifica-se que os professores com menos de 17 anos de experiência percecionam uma maior conflitualidade na relação família-trabalho. Quanto ao tipo de ensino os professores do ensino privado percecionam estar mais satisfeitos profissionalmente e os docentes do ensino púbico percecionam uma maior conflitualidade trabalho-família e família-trabalho.

Palavras-chave: satisfação no trabalho, conciliação trabalho-família, perceção docente.

Downloads

Edição

Secção

Artigos