RENDIMENTO ACADÉMICO EM ENSINO CLÍNICO E FREQUÊNCIA ÀS AULAS: UM ESTUDO COM ESTUDANTES DE ENFERMAGEM

  • Júlia Santos Escola Superior de Saúde de Santarém, Portugal
  • Amélia Simões Figueiredo Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica Portuguesa, Portugal
  • Margarida Vieira Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica Portuguesa, Portugal
Palavras-chave: Assiduidade, Estudantes de Enfermagem, Rendimento académico

Resumo

A aprendizagem dos estudantes do ensino superior, está determinada pela interligação de diversos fatores, entre eles, a frequência às aulas, que constitui um preditor de sucesso académico. Este estudo transversal, descritivo e correlacional, realizado com estudantes de enfermagem de uma Escola Superior de Saúde, tem por objetivo principal conhecer a relação entre a frequência às aulas e o rendimento académico no ensino clínico dos estudantes do Curso de Licenciatura em Enfermagem. Os resultados num primeiro momento, revelam não haver relação estatisticamente significativa entre a frequência às aulas e o desempenho em cada ensino clínico. Porém, agregando o número de faltas em categorias, os resultados revelam que os estudantes com maior assiduidade são os que alcançam classificações significativamente superiores aos estudantes com menor assiduidade. Pode assim concluir-se, que os estudantes mais assíduos são aqueles que conseguem obter melhor rendimento académico em ensino clínico.

Publicado
2018-12-21