PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR: UM ESTUDO EMPÍRICO APLICADO ÀS INSTITUIÇÕES PÚBLICAS PORTUGUESAS

  • Susana Leal Instituto Politécnico de Santarém
  • Ana Aleixo Instituto Politécnico de Santarém
  • Ulisses Azeiteiro Universidade de Aveiro
Palavras-chave: Desenvolvimento sustentável, instituições de ensino superior, Portugal

Resumo

Considerando o enquadramento teórico sobre sustentabilidade nas instituições de ensino superior (IES) (Aleixo, Leal & Azeiteiro, 2018; Lozano, Lukman, Lozano, Huisingh, Lambrechts, 2013) este trabalho analisa as práticas sustentáveis das IES públicas portuguesas. Recorrendo a quatro dimensões de desenvolvimento sustentável (DS) para as IES – ambiental, económica, social/cultural e institucional/educacional/política; Aleixo, Azeiteiro & Leal, 2016) – foi desenvolvido um questionário que permite aferir a implementação (ou não) de 77 práticas sustentáveis nas IES. O questionário foi dirigido aos reitores, presidentes, diretores de faculdades e de escolas superiores de todas as IES públicas portuguesas. Obteve-se uma amostra de 53 responsáveis de IES (4 reitores, 14 presidentes, 22 diretores de escolas superiores e 13 diretores de faculdades), correspondendo a uma taxa de resposta de 22%. Para cada uma das práticas foi solicitado ao respondente que indicasse o grau de implementação na sua IES, de acordo com as seguintes opções: (1) prática não implementada, não projetada e sem relevância; (2) prática não implementada, não projetada, mas relevante; (3) sim, existe, mas apenas em fase de projeto; (4) sim, existe, mas ainda em fase de implementação; (5) sim, existe e está totalmente implementada. A dimensão social/cultural é a que apresenta mais práticas totalmente implementadas; seguindo-se a económica. A dimensão menos desenvolvida nas IES é a ambiental (Aleixo, Azeiteiro & Leal, 2018).

Publicado
2020-01-22