Teste cuff leak positivo em doente com estridor pós-extubação após tiroidectomia total. Como atuar?

  • Liliana Borges Paulo Centro Hospitalar Universitário de Coimbra
  • Eva Silva Department of Anesthesiology, Coimbra Hospital and Universitary Centre, Coimbra, Portugal
  • Sara Rêgo Department of Anesthesiology, Coimbra Hospital and Universitary Centre, Coimbra, Portugal
  • Maria Helena Lima Department of Anesthesiology, Coimbra Hospital and Universitary Centre, Coimbra, Portugal
  • Cláudia Carreira Department of Anesthesiology, Coimbra Hospital and Universitary Centre, Coimbra, Portugal
  • Gisela Costa Department of Anesthesiology, Coimbra Hospital and Universitary Centre, Coimbra, Portugal

Resumo

A cirurgia da tiróide (CT) é a causa mais frequente de paralisia bilateral das cordas vocais.É uma emergência rara e pode causar estridor pós-extubação (EPE) pela secção do nervo laríngeo recorrente (NLR). Numa doente submetida a uma CT sem intercorrências, o teste cuff leak (TCL) qualitativo foi positivo no final da cirurgia. Contudo, a doente foi extubada, iniciou EPE dois minutos depois e foi reintubada.A laringoscopia direta demonstrou adução das cordas vocais. Ficou traqueostomizada durante seis meses. O TCL qualitativo e quantitativo é um método simples, sem custos e permite-nos avaliar a possibilidade de lesão do NLR antes da extubação. Sabe-se muito pouco acerca da utilidade do TCL em CT, sobre a sua importância em doentes de alto risco e se a extubação deve ser apoiada no resultado do teste.Um protocolo acerca do TCL e uma folha de recolha de dados foram criados e adaptados à CT no nosso serviço.

Downloads

Dados de Download não estão ainda disponíveis.
Publicado
2018-12-15
Como Citar
Paulo, L., Silva, E., Rêgo, S., Lima, M. H., Carreira, C., & Costa, G. (2018). Teste cuff leak positivo em doente com estridor pós-extubação após tiroidectomia total. Como atuar?. Revista Da Sociedade Portuguesa De Anestesiologia, 27(4), 108-111. https://doi.org/10.25751/rspa.15269