Dexmedetomidina em Craniotomia com Doente Acordado

  • Ana Silva Anestesiologia do Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental (CHLO)
  • Ana Carvalheiro Anestesiologia do Centro Hospitalar do Algarve – Unidade de Portimão
  • Ana André Anestesiologia do Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental (CHLO)
  • Fernanda Palmira Mira Anestesiologia do Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental (CHLO)
  • Cristina Ferreira Anestesiologia do Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental (CHLO)
Palavras-chave: Analgésicos não Narcóticos, Craniotomia, Dexmedetomidina, Eletroencefalografia, Portugal, Sedação Consciente

Resumo

A craniotomia com o “doente acordado” está indicada em situações de excisão de lesões situadas em áreas eloquentes do córtex cerebral, para tratamento de doenças neoplásicas, distúrbios do movimento, terapêutica da dor e na cirurgia da epilepsia.

Descreve-se o caso de um doente do sexo masculino, 25 anos, com lesão infiltrativa parieto-temporal esquerda proposto para craniotomia acordado, tendo sido realizada uma sedoanalgesia com recurso a dexmedetomidina, que revelou ser uma alternativa segura e eficaz neste tipo de procedimentos.

Downloads

Dados de Download não estão ainda disponíveis.
Como Citar
Silva, A., Carvalheiro, A., André, A., Mira, F., & Ferreira, C. (1). Dexmedetomidina em Craniotomia com Doente Acordado. Revista Da Sociedade Portuguesa De Anestesiologia, 23(1), 14-16. https://doi.org/10.25751/rspa.3679
Secção
Caso Clínico