Anestesia para um doente sem dor

  • Joana Chaves Carvalho Serviço de Anestesiologia. Unidade Local de Saúde de Matosinhos – Hospital Pedro Hispano - Matosinhos Centro onde o trabalho foi realizado: Centro Hospitalar de São João,EPE - Porto
  • Inês Neves Serviço de Anestesiologia. Instituto Português de Oncologia Francisco Gentil – Porto
  • Carlos Moreno Serviço de Anestesiologia. Centro Hospitalar de São João – Porto
  • Susana Vargas Serviço de Anestesiologia. Centro Hospitalar de São João – Porto
Palavras-chave: Anestesia Geral, Neuropatias Hereditárias Sensoriais e Autonómicas

Resumo

A insensibilidade congénita à dor e anidrose ou neuropatia hereditária sensorial e autonómica tipo IV é uma doença autossómica recessiva rara caracterizada pela inexistência de aferentes nociceptivos não mielinizados e de inervação das glândulas sudoríparas. A insensibilidade dos indivíduos portadores desta patologia aos estímulos dolorosos condiciona o desenvolvimento de lesões corporais recorrentes que resultam na realização de inúmeras intervenções cirúrgicas ao longo da vida. Devido à sua raridade, existem poucas descrições sobre a abordagem anestésica destes doentes. Assim, o objetivo deste relato é apresentar o caso de uma criança com insensibilidade congénita à dor e anidrose submetida a desbridamento cirúrgico de uma ferida e discutir as características da doença com relevância anestésica, estabelecendo um paralelo entre as nossas escolhas e as descrições existentes na literatura internacional.

Downloads

Dados de Download não estão ainda disponíveis.
Publicado
2014-07-01
Como Citar
Carvalho, J., Neves, I., Moreno, C., & Vargas, S. (2014). Anestesia para um doente sem dor. Revista Da Sociedade Portuguesa De Anestesiologia, 23(3), 94-97. https://doi.org/10.25751/rspa.4833
Secção
Caso Clínico