ECOCARDIOGRAFIA FETAL E SUA ACUIDADE DIAGNÓSTICA – CMIN 2014

Authors

  • Inês Alencoão
  • Gonçalo Inocêncio
  • Maria José Mendes
  • Ana Guedes
  • Elisa Proença
  • Sílvia Álvares
  • Maria do Céu Rodrigues
  • Jorge Braga

DOI:

https://doi.org/10.25753/BirthGrowthMJ.v24.i0.9433

Abstract

Introdução: As cardiopatias congénitas (CC) são as malformações fetais mais comuns, com uma incidência de 5 a 10 por 1000 nados vivos, associando-se a significativa morbimortalidade. O diagnóstico pré-natal destas anomalias através da ecocardiografia fetal permite aos pais obter informação prognóstica e de tratamento previamente ao nascimento e aos profissionais planear a atuação obstétrica e pós-natal mais adequadas.

Objetivos: Analisar a incidência de CC nos fetos e recém-nascidos da nossa instituição durante o ano de 2014. Analisar a sensibilidade e especificidade da ecocardiografia fetal no diagnóstico de CC. Metodologia: Foram avaliadas as ecocardiografias fetais e neonatais realizadas durante o ano de 2014 na nossa instituição. Em cada caso, foi analisada a indicação para a realização deste exame, os diagnósticos pré e pós-natais.

Resultados: Foram realizadas 877 ecocardiografias fetais em 657 grávidas durante o ano de 2014, tendo sido referenciados 157 casos para avaliação pós-natal. A principal indicação para a realização de ecocardiografia fetal foi avaliação cardíaca tecnicamente difícil na ecografia obstétrica, seguida de suspeita de anomalia cardíaca. Registaram-se 39 casos de suspeita pré-natal de anomalia cardíaca, entre estes, 24 falsos positivos. As CC detectadas foram 15: comunicação interventricular (CIV) (3), anomalias do arco aórtico (4, incluindo 1 caso de coarctação da aorta), truncus arteriosus (1), transposição dos grandes vasos (1), estenose valvular pulmonar (2) e outras (4). Os falsos positivos corresponderam a CIV (14) (idade gestacional ao diagnóstico 28-36 semanas) e suspeita de anomalias do arco aórtico (4), sendo os restantes alterações minor. Houve ainda 4 casos falsos negativos (CIVs, um destes com comunicação interauricular tipo ostium primum associada). Neste período foram diagnosticadas 55 CC em 2850 nados vivos, correspondendo a uma incidência global de 19.3‰. A sensibilidade da ecocardiografia fetal foi 78.9% e a sua especificidade 96%.

Conclusão: A detecção pré-natal de CC mantém-se um dos maiores desafios em DPN. A ecocardiografia fetal registou eleva- da sensibilidade e especificidade. Os falsos negativos encontra- dos corresponderam a CC simples. A elevada incidência de CC poderá ser explicada por constituirmos um centro de referência materno-infantil de alto risco. A ecocardiografia fetal é fundamental no diagnóstico pré-natal de CC, permitindo o aconselhamento ao casal e a orientação e planeamento dos cuidados perinatais.

 

Downloads

Download data is not yet available.

Published

2016-07-07

How to Cite

1.
Alencoão I, Inocêncio G, Mendes MJ, Guedes A, Proença E, Álvares S, Rodrigues M do C, Braga J. ECOCARDIOGRAFIA FETAL E SUA ACUIDADE DIAGNÓSTICA – CMIN 2014. REVNEC [Internet]. 2016Jul.7 [cited 2022May26];24:S13. Available from: https://revistas.rcaap.pt/nascercrescer/article/view/9433

Most read articles by the same author(s)

1 2 3 4 > >>