PIELOPLASTIA DESMEMBRADA NOS SÍNDROMES DE JUNÇÃO URETEROPÉLVICO BILATERAIS – A EXPERIÊNCIA DE UMA UNIDADE NOS ÚLTIMOS 16 ANOS

Authors

  • Catarina Sousa
  • Ana Coelho
  • Sofia Marinho
  • João Moreira Pinto
  • Ribeiro Castro
  • Armando Reis

DOI:

https://doi.org/10.25753/BirthGrowthMJ.v24.i0.9643

Abstract

Introdução: O Síndrome de junção ureteropélvico (SJU) é uma das patologias urológicas pediátricas mais frequentes. Constitui a causa mais comum de hidronefrose no período neonatal. O SJU esta presente bilateralmente em cerca de 10% dos casos, sendo na maioria unilateral e com maior frequência localizado à esquerda (60%). A pieloplastia de Anderson-Hynes é o procedimento cirúrgico de eleição. O seguimento pré-natal dos SJU bilaterais é controverso. O objectivo deste estudo foi avaliar os resultados obtidos no tratamento dos casos de SJU bilateral na Unidade de Urologia Pediátrica do Centro Hospital do Porto.

Materiais e Métodos: Foi efectuada uma análise retrospec- tiva dos doentes submetidos a pieloplastia desmembrada nos últimos 16 anos na Unidade de Urologia Pediátrica do Centro Hospital do Porto. No período entre Janeiro de 1999 e Março de 2015, foram submetidos a pieloplastia desmembrada de Anderson-Hynes 560 pacientes, 7 apresentando síndrome de junção bilateral (1.25%). Foram colhidos os dados relativos ao seguimento pré e pós-operatório e as complicações a curto e longo prazo. Os estudos imagiológicos incluíram o MAG3 (mercapto-acetyl-triglycine renal scan) com teste de furosemida. Os resultados pós-operatórios foram comparados com os dados anteriores.

Resultados: Todos os pacientes com SJU bilateral tiveram diagnóstico pré-natal. Relativamente à caracterização da amostra obtida (N = 7), 85,7% eram do sexo masculino. Todos realizaram inicialmente pieloplastia unilateral, e a média de idades foi de 3 meses (valores entre 20 dias e 1 mês). Observado um caso de regressão espontânea da hidronefrose contralateral, e os restantes 6 pacientes foram submetidos a pieloplastia contralateral. Não se registaram complicações a curto ou longo prazo, sem necessidade de reoperação por recidiva.

Conclusão: A pieloplastia desmembrada de Anderson-Hynes é um procedimento seguro e eficiente no tratamento do síndrome de junção ureteropélvico bilateral. Existem poucas séries descritas na literatura. Estudos semelhantes contribuem para esclarecer a melhor conduta no tratamento e seguimento desde doentes.

Downloads

Download data is not yet available.

How to Cite

1.
Sousa C, Coelho A, Marinho S, Pinto JM, Castro R, Reis A. PIELOPLASTIA DESMEMBRADA NOS SÍNDROMES DE JUNÇÃO URETEROPÉLVICO BILATERAIS – A EXPERIÊNCIA DE UMA UNIDADE NOS ÚLTIMOS 16 ANOS. REVNEC [Internet]. 2015Dec.1 [cited 2022May27];24:S31. Available from: https://revistas.rcaap.pt/nascercrescer/article/view/9643

Most read articles by the same author(s)

1 2 > >>