Sociedades Desportivas – Maximização de Benefícios e Modos Preventivos de Sobrevivência

  • Vasco André Silva Rodrigues Universidade do Minho

Resumo

O mundo do desporto profissional gera receitas de modo incalculável. Os contratos de patrocínio, as vendas milionárias de atletas, os investidores que vão aparecendo, os contratos de transmissão e difusão dos desafios, entre muitos outros instrumentos conduzem à realização de mais valias incalculáveis

Porém, e fruto da má administração desse dinheiro, os clubes passam por situações agónicas, às quais urge responder.

E tal resposta é feita, quer por entes extrínsecos aos mesmos – como, por exemplo a UEFA com o fair play financeiro – quer através dos meios legalmente previstos e que pretendem estancar a bancarrota destes. Falamos do PER e do SIREVE, que merecerão a nossa atenção.

E essa será a preocupação do presente estudo: investigar e concluir quais serão as melhores hipóteses de resolução das crises que os clubes desportivos profissionais vão vivendo.

Biografia do Autor

Vasco André Silva Rodrigues, Universidade do Minho
Advogado, Mestre em Direito dos Contratos e das Empresas pela Universidade do Minho
Publicado
2017-07-31
Como Citar
Rodrigues, V. A. S. (2017). Sociedades Desportivas – Maximização de Benefícios e Modos Preventivos de Sobrevivência. Revista Jurídica Portucalense, (21), 165-214. Obtido de https://revistas.rcaap.pt/juridica/article/view/11678
Secção
Investigação Científica