Violência na Intimidade sob o olhar dos Direitos Humanos: Múltiplas expressões de gênero e das juventudes

Resumo

Resumo: Em contextos de violações e relações abusivas, analisar as violências nas relações de intimidade, com recorte geracional sob a perspectiva dos Direitos Humanos e de gênero, é o foco central. O tema tem alcançado visibilidade, nos níveis social e científico, sendo considerado como um problema e umas das urgências atuais, pelo impacto decorrente nas manifestações e consequências. Portanto, mapear ocorrências violentas nas relações de intimidade de/entre jovens, ademais de elencar os principais elementos jurídicos de proteção e defesa, à luz da literatura compõe escopo do artigo. Como delineamento metodológico, a pesquisa foi realizada com jovens, de ambos os sexos, na faixa etária de 16 a 24 anos, matriculados em escolas públicas de médio porte dos municípios baianos (Salvador e Feira de Santana). Utilizou-se como instrumento “Percurso Amoroso de Jovens\PAJ” (original do Canadá - Parcour amoreux des jeunes), versão brasileira, para operacionalizar a abordagem qualitativa (entrevistas – questões subjetivas). Concluiu-se a necessidade de investimentos eficazes, sensibilizando contextos familiares e educacionais (prevenção e informação), de diferentes setores sociais para a importância de relacionamentos íntimos entre jovens. Outros resultados sinalizam a construção de projetos baseados na conscientização e na educação para e pelos Direitos das juventudes, informando, compreendendo e evitando relacionamentos abusivos.

 

 

Palavras-chave: violências; juventude; intimidade; contexto social e familiar; direitos humanos; cidadania.

Biografias do Autor

Aline Moerbeck Costa

Doutoranda em Direitos Humanos no Centro de Estudos Sociais na Universidade de Coimbra.  Mestra em Família na Sociedade Contemporânea pela Universidade Católica do Salvador/UCSAL, período em que também foi aluna bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia - FAPESB. Atualmente, é pesquisadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Direitos Humanos da Universidade Católica do Salvador/UCSAL e do Núcleo de Estudos e Pesquisas na Infância e Adolescência NNEPA/Programa de Pós Graduação da Universidade Estadual de Feira de Santana - UEFS.

Vanessa Ribeiro Simon Cavalcanti

Doutorada pela Universidade de León, com pós-doutoramento pela Universidade de Salamanca. Professora e pesquisadora da Universidade Católica do Salvador (UCSAL) no Doutorado e Mestrado em Família na Sociedade Contemporânea e docente permanente no Programa de Pós-Graduação Programa em Estudos Interdisciplinares sobre Mulheres, Gênero e Feminismo (PPGNEIM) da Universidade Federal da Bahia. Integrante da Associação Portuguesa de Sociologia – APS e do Núcleo de Estudos sobre Direitos Humanos (NEDH).

Referências

BOURDIEU, P. A escola conservadora: as desigualdades frente à escola e à cultura. Educação em Revista, Belo Horizonte, n.10, p.5-15, 1989.

BUTLER, J. P. Problemas de gênero: Feminismo e subversão de identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.

CAMPOS, C. H. Lei Maria da Penha comentada em uma perspectiva jurídico-feminista. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2011 p. 143-196.

CAMPOS, M. R. S. Análise das propriedades psicométricas da versão brasileira do inventário “Parcours Amoreux des Jeunes-PAJ”. 2015. Dissertação de Mestrado (Saúde Coletiva). Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, Universidade Estadual de Feira de Santana.

CARIDADE S.; MACHADO, C. Violência na intimidade juvenil: prevalência, factores de risco e atitudes. In: MACHADO, C. Novas formas de vitimação criminal. Braga: Psiquilibrios, 2010, p. 13-59.

CARIDADE, S.; MACHADO, C. Violência na intimidade juvenil: da vitimação à perpetração. Análise psicológica, Lisboa, v. 24, n. 4, p. 485-493, 2006.

CASTRO, M. G.; ABRAMOVAY, M.; SILVA, L. B. Juventudes e Sexualidade. Brasília: Unesco, 2004.

CAVALCANTE, R. B.; CALIXTO, P.; PINHEIRO, M. M. K. Análise de conteúdo: considerações gerais, relações com a pergunta de pesquisa, possibilidades e limitações do método. Informação & Sociedade: Estudos, v. 24, n. 1, 2014.

CAVALCANTI, V. R. S. Violências sobrepostas: contextos, tendências e abordagens num cenário de mudanças. In: DIAS, I. (Org.). Violência doméstica e de gênero. Lisboa: Pactor, 2018, p. 1-27.

CAVALCANTI, V.R.S. & SILVA, A.C. Ética & práxis: em tempos sombrios, a justiça social e a liberdade devem ser difundidos. In: CAVALCANTI, V.R.S &

CARNEIRO, V.C.S. Direitos Humanos: Múltiplos Olhares. Salvador: Roma Negra/Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, 2014, p. 81-110.

CUNHA, O. N. Adaptação Transcultural e validação de conteúdo do questionário “pacours amoureux des jeunes”– PAJ – Montreal/ Canadá para o contexto do Brasil. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva) – Universidade Estadual de Feira de Santana, Feira de Santana, 2014.

DIAS, I. Violência doméstica e justiça. Sociologia: Porto, v. 20, 2010, p. 245-262.

ESTEVÃO, C. A.V. Democracia política, democracia escolar e educação para os direitos humanos. Educação, Porto Alegre, v. 36, n. 1, p. 28-34, jan./abr. 2013. Disponível em http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/1 2296/8737.

GOMES, C. B. Violência nas Escolas: Uma realidade a ser Transformada. Curitiba: Juruá, 2013.

MACHADO, C.; MATOS, M.; GONÇALVES, M. M. - E. C. V. C. - Escala de crenças sobre a violência conjugal. In: ALMEIDA L.; SIMÕES M., MACHADO C.; GONÇALVES M. M. (Coords.). Avaliação psicológica: Instrumentos validados para a população portuguesa. Coimbra: Quarteto, v. II, 2008, p. 127-140.

MINAYO, M.C.S. Amor e Violência: um paradoxo das relações de namoro e do “ficar” entre jovens brasileiros. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2011.

MINAYO, M.C.S.; GONÇALVES, S.; FERREIRA, S; RAMOS. E. Possibilidades e dificuldades nas relações entre ciências sociais e epidemiologia. Rio de Janeiro: Centro Latino Americano de Estudo a Violência e Saúde, 2003.

MOTTA, A. B. Teoria de gerações na perspectiva de gênero. Feminismo, desenvolvimento e direitos humanos. Aracaju: REDOR/NEPIMG, p. 1-20, 2005.

NASCIMENTO, O. C. Adaptação transcultural e validação de conteúdo do questionário “Parcours Amoureux des Jeunes-PAJ” Montréal/Canadá-para o contexto do Brasil. 2014. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva). Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, Universidade Estadual de Feira de Santana, Feira de Santana-BA.

NEVES, A.S.A. Amor, Poder e Violência (s) contra as mulheres: a importância do género nas relações íntimas. Psicologia: Teoria, Investigação e prática, v. 8, n. 1, p. 133- 144, 2003.

NEVES, A. S. A. As mulheres e os discursos generalizados sobre o amor: a caminho do “amor confluente” ou o retorno ao mito do “amor romântico”. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 15, n. 3, p. 609-627, 2007.

OMS - Organização Mundial de Saúde/OPAS; Organização Pan-Americana da Saúde. Prevenção da violência sexual e da violência pelo parceiro intimo contra a mulher: Ação e produção de evidência. OMS, 2014.

ONU - Organização das Nações Unidas. Conselho Social e Econômico. Relatório do Trabalho de Grupo na Violência contra a Mulher. Viena, Nações Unidas, 1992.

PASINATO, W. Justiça e Violência Contra a Mulher – O Papel do Sistema Judiciário na Solução dos Conflitos de Gênero. São Paulo: Annablume, 2004.

SARDENBERG, C.M.B. Um diálogo possível entre Margaret Mead e Simone de Beauvoir. In: MOTA, A. B., SARDENBERG, C. e GOMES, M. (Orgs.). Um diálogo com Simone de Beauvoir e outras falas. Salvador: NEIM/FFCH/UFBA, 2000.

SILVA, A. M. & TAVARES, C. (Orgs.). Políticas e fundamentos da educação em direitos humanos. São Paulo: Cortez, 2010.

SOARES, M. V.B. Educação em direitos humanos: de que se trata?. In: BARBOSA, R. L. L. Formação de educadores: desafios e perspectivas. São Paulo: Editora UNESP, 2003, p. 309-318.

TAVARES, M. S.; SARDENBERG, C. M. B.; GOMES, M. Q. C. Feminismo, Estado e Políticas de Enfrentamento à Violência contra Mulheres: Monitorando a Lei Maria da Penha. Labrys, v. 20, p. 1-30, 2011.

VIEIRA, C.M.C. A investigação participativa. Algumas considerações em torno desta metodologia qualitativa. In: OLIVEIRA, L; PEREIRA, A. & SANTIAGO, R. (Orgs.). Investigação em Educação. Abordagens Conceptuais e Práticas. Porto: Porto Editora, 2004, pp. 59-76.

Publicado
2019-12-30
Como Citar
Costa, A. M., & Cavalcanti, V. R. S. (2019). Violência na Intimidade sob o olhar dos Direitos Humanos: Múltiplas expressões de gênero e das juventudes. Revista Jurídica Portucalense, (26), 3-35. Obtido de https://revistas.rcaap.pt/juridica/article/view/17751
Secção
Investigação Científica