Educação ao Longo da Vida

Keywords: lifelong learning, adult education, lifelong education, popular education

Abstract

Depois da II Guerra Mundial e até à década de 1970, registou-se um forte incremento do progresso científico e tecnológico. Assistiu-se igualmente à massificação dos sistemas educativos, tendência esta acompanhada pelo descontentamento face aos modelos pedagógicos vigentes. A ideia de que os sujeitos se educavam ao longo da vida, através do conceito de educação permanente, surgiu neste âmbito nos finais da década de 1950, preconizada num primeiro momento pelo Conselho da Europa e mais tarde, em finais da década de 1960, pela UNESCO. Esta ideia surgia como uma nova proposta educativa que concedia maior protagonismo aos contextos não formais e informais de educação, formação e aprendizagem. Assente numa perspetiva democrática e humanista, a ideia incluía uma forte crítica ao modelo escolar tradicional, acusado de pouco flexível e desmobilizador da participação daqueles que se educavam, assim como pouco eficaz na promoção da igualdade de oportunidades e da mobilidade social ascendente (...)

Downloads

Download data is not yet available.

References

Faure, E., Herrera, F., Kaddoura, A. R., Lopes, H., Petrovski, A. V., Rahnema, M., & Ward, F. C. (1977). Aprender a Ser. Lisboa: Bertrand.

Freire, P. (1975). Pedagogia do Oprimido. Porto: Afrontamento.

Illich, I. (1985). Sociedade Sem Escolas. Petrópolis: Vozes.

Lengrand, P. (1971). Introdução à Educação Permanente. Lisboa: Livros Horizonte.

Lima, L. C. (2012). Aprender para Ganhar, Conhecer para Competir: Sobre a Subordinação da Educação na “Sociedade da Aprendizagem”. São Paulo: Cortez Editora.

Pineau, G. (1987). A autoformação no decurso da vida: entre a hétero e a ecoformação. In A. Nóvoa & M. Finger (Orgs.), O Método (Auto)Biográfico e a Formação (pp. 100-117). Portugal: Ministério da Saúde.

Santos, B. S. (Org.) (2004). Produzir para Viver. Os Caminhos da Produção Não Capitalista. Porto: Edições Afrontamento.

Published
2019-06-29