Práticas curriculares no ensino da matemática: perceções de alunos do 9.º ano de escolaridade e sua relação com a contextualização curricular

Carlinda Leite, Fátima Delgado

Resumo


À disciplina de Matemática são muitas vezes associadas situações de insucesso escolar traduzidas por baixos resultados nos exames nacionais. Esta situação, que se manifesta desde o final do ensino básico (9.º ano), justifica a sua análise e o delineamento de intervenções educacionais e curriculares. Ao nível das políticas curriculares, têm sido implementadas medidas de que o Plano da Matemática (2006-2012) é um dos exemplos. Por outro lado, a bibliografia produzida no campo do currículo aponta para que práticas de contextualização curricular constituem um meio gerador de melhores aprendizagens. É no quadro destas ideias que este texto, por um lado, dá conta de uma pesquisa que recolhe opiniões de alunos sobre estratégias de ensino mais frequentemente usadas por professores de Matemática e efeitos que geram na promoção da aprendizagem e, por outro, analisa essas estratégias à luz de procedimentos de contextualização curricular. Os resultados dessa pesquisa indicam que as estratégias mais frequentes são de orientação tradicional e de aprendizagem por treino. São também, e talvez por serem aquelas com que mais convivem, aquelas que segundo os alunos constantes do estudo mais contribuem para as suas aprendizagens. Apesar disso, há o recurso a algumas estratégias de contextualização curricular por referência a conteúdos, ao sujeito/aluno e a práticas pedagógicas orientadas para a aprendizagem, mas menos as que têm por referência aspectos do contexto local.

Palavras-chave


Ensino da Matemática; Práticas curriculares; Contextualização curricular; Resultados académicos de Matemática

Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.