Variáveis pessoais e socioculturais de diferenciação das expectativas académicas: Estudo com alunos do Ensino Superior do Norte de Portugal e Galiza

Alexandra M. Araújo, Leandro S. Almeida, Alexandra R. Costa, Sonia Alfonso, Ángeles Conde, Manuel Deaño

DOI: https://doi.org/10.21814/rpe.7057

Resumo


Com a expansão do acesso ao Ensino Superior, nas últimas décadas assistimos a uma maior heterogeneidade de estudantes neste nível de ensino. Uma das variáveis que importa considerar na análise dos perfis de estudantes universitários são as suas expectativas académicas, uma vez que as mesmas estão associadas a níveis diferentes de envolvimento,permanência e sucesso escolar. Foi administrado um questionário de expectativas a uma amostra de 717 estudantes do 1º ano, portugueses e espanhóis, avaliando sete dimensões: i) Formação para o emprego e carreira;ii) Desenvolvimento pessoal e social; iii) Mobilidade internacional; iv)Envolvimento político e cidadania; v) Pressão social; vi) Qualidade da formação; e vii) Interação social. Os resultados foram analisados em função do país, do sexo e de os estudantes serem ou não de primeira geração (senenhum dos pais possui frequência do ES). As análises mostram que, de um modo geral, os estudantes espanhóis apresentam expectativas académicas mais baixas do que os estudantes portugueses. Por outro lado, observa-se um efeito de sentido inverso entre ser ou não estudante de primeira geração,sendo que estudantes cujos pais possuem formação superior apresentam expectativas mais elevadas em Portugal, ocorrendo uma situação inversa com os estudantes de Espanha. Algumas explicações são avançadas na interpretação destes dados.

 

Palavras-chave: Ensino Superior; Expectativas académicas; Estudantes do primeiro ano;Variáveis socioculturais


Palavras-chave


Ensino Superior; Expectativas académicas; Estudantes do primeiro ano;Variáveis socioculturais

Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.


A Revista Portuguesa de Educação (ISSN 0871-9187) é uma publicação semestral do Centro de Investigação em Educação (CIEd) do Instituto de Educação da Universidade Minho (UM) e conta com o apoio de fundos nacionais da FCT/MCTES-PT através do projeto UID/CED/1661/2013.