Contributos Psicanalíticos para a Intervenção Precoce Centrada na Família

Autores

  • Vitor Franco Universidade de Évora- Centro de Investigação em Educação e Psicologia

DOI:

https://doi.org/10.25755/int.25107

Resumo

A Intervenção Precoce no desenvolvimento das crianças com perturbações do desenvolvimento, ou em grave risco de as virem a apresentar, tem vindo a ultrapassar, nas últimas décadas, uma perspectiva de estimulação e terapia especializada, assente num modelo médico e centrado no problema ou patologia. Assume hoje uma visão de desenvolvimento mais alargada, centrada na família e transdisciplinar. Qualquer perspectiva transdisciplinar é, necessariamente, multissectorial e multiteórica, pelo que importa ver como é que diferentes contributos científicos podem confluir para uma visão alargada da criança, do seu desenvolvimento e das práticas de intervenção. A Psicanálise trouxe consigo, há um século, uma revolução no pensamento científico sobre a criança e as suas necessidades de desenvolvimento, com implicações profundas para a educação e a saúde mental infantil. No entanto, os seus contributos originais foram frequentemente ignorados ou reduzidos aos seus piores argumentos, e os que vai produzindo nem sempre se aproximam do pensamento sobre a intervenção não clínica ou são por esta desconsiderados. Importa então questionarmo-nos sobre os contributos atuais do pensamento psicanalítico no domínio da Intervenção Precoce na Infância, identificando aqueles que melhor respondem às exigências do neurodesenvolvimento, das dimensões relacionais e intersubjectivas da vida dos bebés e crianças pequenas e das implicações interpessoais para as práticas de intervenção centradas na família.

Downloads

Publicado

2021-07-24