Políticas de saúde para adolescentes mulheres: uma visão feminista

Autores

  • Vicente de Paula Faleiros Pós-graduação em Psicologia da Universidade Católica de Brasília. Professor Emérito da Universidade de Brasília.

DOI:

https://doi.org/10.25755/int.2852

Palavras-chave:

Mulheres adolescentes, Políticas de saúde, Gênero, Protagonismo.

Resumo

Este trabalho tem como questão a mudança de paradigma na consideração da saúde reprodutiva da adolescente nas políticas de saúde. Objetivo: articular políticas de saúde para as adolescentes com a questão de dominação de gênero, protagonismo e respeito à adolescência. Método: qualitativo com levantamento e análise de documentos de 2000 a 2010 pela internet. Análise: interpretativa, tendo como marcadores a consideração das políticas nos paradigmas de protagonismo, conforme os direitos assegurados e as estratégias desenvolvidas. Resultados: as políticas de saúde para adolescentes assumem, no discurso, a garantia de direitos reprodutivos articulados com as questões de gênero e protagonismo na perspectiva da intersetorialidade, embora não se mencionem recursos para sua implementação. Este trabalho resulta de uma pesquisa realizada no Cecria- Centro de Estudos Referências e Ações sobre Crianças e Adolescentes com apoio do UNICEF.

Downloads

Publicado

2013-07-27

Como Citar

Faleiros, V. de P. (2013). Políticas de saúde para adolescentes mulheres: uma visão feminista. Interacções, 9(25). https://doi.org/10.25755/int.2852