Adolescentes portugueses e o bullying escolar: estereótipos e diferenças de género

Autores

  • Paulo Costa Instituto de Educação - Centro de Investigação em Estudos da Criança – Universidade do Minho
  • Rosana Farenzena Faculdade de Educação – Universidade de Passo Fundo
  • Hugo Simões Instituto de Educação - Centro de Investigação em Estudos da Criança – Universidade do Minho
  • Beatriz Pereira Instituto de Educação – Centro de Investigação em Estudos da Criança – Universidade do Minho

DOI:

https://doi.org/10.25755/int.2857

Palavras-chave:

Adolescência, Bullying, Vitimação, Género, Escola.

Resumo

A violência escolar, em particular o bullying, constitui uma espécie de «nó cego» para as comunidades educativas e, de modo geral, para a sociedade. Na lógica de uma compreensão contextual e profunda da vida escolar de adolescentes, desenvolvemos um estudo sensível às especificidades das interações entre pares, direta ou indiretamente relacionadas com manifestações de bullying. Nesta perspetiva, pretendemos verificar se o género masculino, enquanto catalisador preferencial destas abordagens agressivas, mantém nos dias de hoje, o seu status de bullying face ao género feminino. Descrevemos e analisámos a prevalência das múltiplas formas de vitimação ocorridas entre pares, através de um questionário aplicado a 360 alunos do 7º ano do ensino básico, sendo 168 (46,7%) do género feminino e 192 (53,3%) do masculino, com idades compreendidas entre os 11 e os 16 anos (X =12,36 e + = 0,773). Os principais achados da pesquisa indicam não haver diferenças de género, estatisticamente significativas, com exceção aos tipos de vitimação física e de exclusão. Decorre dessa constatação, no confronto com outras que, da mesma forma, emergem dos esforços para desvelar a realidade educativa das crianças e jovens, que compõem o corpo de alunos da escola pública portuguesa, o indicativo de uma necessidade inadiável: garantir, pela vigência plena das próprias funções da escola, o direito à participação e à autonomia, no que se afirmam diferentes dimensões da cidadania, dessas categorias sociais geracionais.

Downloads

Publicado

2013-07-27

Como Citar

Costa, P., Farenzena, R., Simões, H., & Pereira, B. (2013). Adolescentes portugueses e o bullying escolar: estereótipos e diferenças de género. Interacções, 9(25). https://doi.org/10.25755/int.2857