Educação e democracia: potencialidades e riscos da parceria entre escolas e ONG

  • Ana Bela Ribeiro Centro de Investigação e Intervenção Educativas; Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto
  • Isabel Menezes Centro de Investigação e Intervenção Educativas; Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto
Palavras-chave: Educação para a Cidadania, Participação Cívica e Política, Jovens, ONG, Parcerias.

Resumo

Este artigo discute a relação entre educação e democracia, partindo do reconhecimento de que a educação continua a ser um dos preditores mais significativos da participação cidadã, ao mesmo tempo que educar não pode senão significar aprender a ler, escrever e contar o mundo, como diria Paulo Freire. Neste pressuposto, são discutidas algumas tendências contemporâneas dos discursos políticos e educacionais: a ênfase na crise da participação juvenil como o “problema”, com a concomitante “resolução” de atribuir à escola o lugar onde se educa para a cidadania. Paradoxalmente, estes discursos são acompanhados por um desinvestimento nas políticas educativas de educação para a cidadania, como é demonstrado pela análise da situação portuguesa que, neste domínio, acompanha o equívoco de outros países europeus ao tentar falar de cidadania deixando a política de fora. Um estudo com professores e coordenadores de ONG revela como estratégias de parceria podem ter um potencial de resistência a esta limitação de espaços de cidadania na escola, apesar dos riscos de onguização do empoderamento cidadão.

Publicado
2015-08-08