Ensino de línguas como ação cultural: rupturas e transgressões no caminho para a cidadania

  • Michele Freire Schiffler Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, ES, Brasil (Bolsista de Pós-Doutoramento em Linguística Capes/Fapes – processo nº 70984425). http://orcid.org/0000-0001-9198-468X

Resumo

Este artigo visa a discutir a importância da Educação, em especial do ensino de línguas, para a reeducação das relações étnico-raciais, privilegiando uma ecologia de saberes que, a partir da intersubjetividade, do interconhecimento, da pluralidade e da tradução cultural (Santos; Meneses, 2010), atue em transformações concretas na realidade social brasileira, marcada por desigualdades abissais, preconceito, racismo e desrespeito aos direitos do cidadão expressos na Constituição Federal. Para tanto, apresentará uma discussão com base na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional; na Lei 10.639/03, que trata do ensino da história e da cultura africana e afro-brasileira; e nas “Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação das Relações Étnico-Raciais”. A problematização será mediada pelas tensões e violações de direitos sociais que incidem sobre comunidades negras no Brasil, vivendo em situação de vulnerabilidade social. 

Biografia do Autor

Michele Freire Schiffler, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, ES, Brasil (Bolsista de Pós-Doutoramento em Linguística Capes/Fapes – processo nº 70984425).

Natural do Rio de Janeiro, RJ, Michele Freire Schiffler possui graduação em Letras (Português/Espanhol) pela Universidade Federal de São Carlos (2002) e mestrado em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (2006). Doutora em Letras pela Universidade Federal do Espírito Santo, realizou pesquisas junto ao Centro de Estudos Africanos do ISCTE, Portugal. Atualmente, é investigadora de Pós-Doutoramento em Linguística pela Universidade Federal do Espírito Santo, com projeto de pesquisa financiado pela Capes/Fapes (processo nº 70984425).

Dentre suas principais publicações destacam-se artigos nas áreas de performances culturais, estudos africanos, estudos culturais, filosofia da linguagem e linguística aplicada. É autora do livro “Literatura Oral e Performance: identidade e ancestralidade no Ticumbi de Conceição da Barra, ES”, de 2016, e de artigos como “Ticumbi e Performance: o real e o fantástico na escrita do corpo”, “A Identidade em Performance no Ticumbi de São Benedito”, “ Identidade, ancestralidade e resistência no Ticumbi de São Benedito”, de 2015, e “O riso e o popular como representação da diáspora atlântica no Ticumbi de Conceição da Barra, ES”,  de 2014, dentre outros.

Publicado
2017-07-31
Como Citar
Schiffler, M. F. (2017). Ensino de línguas como ação cultural: rupturas e transgressões no caminho para a cidadania. Revista Jurídica Portucalense, (21), 388-402. Obtido de https://revistas.rcaap.pt/juridica/article/view/9818
Secção
Varia