Constrangimentos espácio-temporais sobre a tomada de decisão do tipo de remate na grande área do futebol

  • Fabian Alberto Romero Escola de Educação Física e Esporte- Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.
  • Renata Alvares Denardi Escola de Educação Física e Esporte- Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.
  • Bruno Travassos Departamento de Ciências do Desporto, Universidade da Beira Interior, Covilhã, Portugal
  • Umberto Cesar Corrêa Escola de Educação Física e Esporte- Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Abstract

O presente estudo investigou a tomada de decisão da trajetória da bola e da superfície de contato do pé com a bola no remate do futebol. Foram filmados 12 jogos de futebol de um campeonato amador na Colômbia. Participaram no estudo 150 jogadores do sexo masculino, com idade entre 17 e 38 anos, e experiência de prática neste esporte de, no mínimo, 7 anos. As imagens capturadas foram analisadas através do software TACTO, e as variáveis espácio-temporais consideradas para análise foram as seguintes: I) ângulo de remate; II) distância entre o atacante e o defensor (interpessoal), III) distância entre o defensor e a baliza (extrapessoal); IV) velocidade e variabilidade de cada uma dessas medidas. Essas variáveis foram analisadas em relação a situações de remates com trajetórias retilíneas e parabólicas da bola, assim como, com a parte interna e peito do pé. Os resultados revelaram que a escolha da trajetória da bola foi influenciada pelas variáveis ângulo de remate e distância interpessoal. Além disso, a escolha da superfície de contato foi influenciada pela variabilidade da distância extrapessoal. Concluiu-se que as escolhas da trajetória da bola e da superfície de contato do remate são influenciadas pela interação espacial entre os jogadores.

 

 

Published
2016-10-13
Section
Original Article