Opção sexual ou orientação sexual? A compreensão de professores de um curso de Medicina sobre sexualidade

Sexual option or sexual orientation? Teachers’ understandings of sexuality in a medical degree

Resumo

Este artigo apresenta parte de resultados de um estudo que investigou a compreensão de docentes de um curso de Medicina sobre a dimensão humana da sexualidade para desvelar processos de educação sexual vividos numa proposta de currículo inovador. A pesquisa foi norteada pelo paradigma do materialismo histórico dialético que utiliza o método dialético para análise da realidade. Os instrumentos de coleta compreenderam questionários e entrevistas. A análise de conteúdo desvelou contradições na prática pedagógica, que representa vivências ancoradas na vertente médico-biológica somada ao paradigma da medicina científica. Como resultado, registrou-se o uso ainda constante das palavras “opção sexual”, “escolha sexual” e “homossexualismo”, o que sugere a compreensão da diversidade por abordagens biológicas, patologizantes e reducionistas. O fortalecimento da formação continuada e permanente dos docentes torna-se urgente e necessária. Contudo, as contradições também apontam para um curso vivo, dinâmico e em transição paradigmática, onde há possibilidades de se vivenciar com plenitude pedagógica processos de educação sexual numa abordagem emancipatória.

Palavras-chave: Graduação em Medicina; Currículo integrado; Formação médica; Educação sexual emancipatória; Formação de professores

Downloads

Dados de Download não estão ainda disponíveis.
Publicado
2018-12-06
Como Citar
Yared, Y., & Melo, S. (2018). Opção sexual ou orientação sexual? A compreensão de professores de um curso de Medicina sobre sexualidade. Revista Portuguesa De Educação, 31(2), 175-195. https://doi.org/10.21814/rpe.15350
Secção
Artigos