Ambiente percebido na formação inicial: investigação com estudantes universitários de educação física

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21814/rpe.18632

Palavras-chave:

Educação Física; Ambiente percebido; Formação Inicial; Estudantes

Resumo

O objetivo do estudo foi investigar o ambiente de formação inicial percebido por estudantes universitários de Educação Física. Participaram 273 estudantes universitários (Bacharelado n=150; Licenciatura n=123) de uma universidade pública de Santa Catarina (Brasil). Aplicou-se a versão adaptada do Questionário de Avaliação do Ambiente Percebido da Formação Inicial em Educação Física. Realizou-se regressão logística binária para verificar a associação entre as variáveis. Os resultados revelaram que os licenciandos perceberam maior ocorrência de discussões em grupo (OR=2,07), seminários teóricos (OR=1,72), aprendizagem pela prática e desenvolvimento de atitudes reflexivas (OR=1,70) do que os bacharelandos. O ambiente de formação inicial percebido foi similar entre os cursos, mas os licenciandos perceberam mais oportunidades de participação e reflexão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Bandura, A. (2001). Social cognitive theory: an agentic perspective. Annu Rev Psychol, 52, 1-26. http://dx.doi.org/10.1146/annurev.psych.52.1.1

Barr, R. & Tagg, J. (1995). From teaching to learning — a new paradigm for undergraduate education. Change, 27(6), 12-26. http://dx.doi.org/10.1080/00091383.1995.10544672

Barreira, C., Bidarra, G., Monteiro, F., Vaz-Rebelo, P. & Alferes, V. (2017). Avaliação das aprendizagens no ensino superior: perceções de professores e estudantes nas universidades portuguesas. Revista Iberoamericana de Educación Superior, 8(21), 24-36.

Bezerra, L. A., Farias, G. O., Folle, A. & Bezerra, J. (2014). Ginástica na formação inicial em educação física: análise das produções científicas. Journal of Physical Education, 25(4), 663-673. http://dx.doi.org/10.4025/reveducfis.v25i4.22689

Brasil. (2002a). Resolução CNE/CP nº 1, de 18 de fevereiro. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Brasília: Diário Oficial da União. http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/res1_2.pdf

Brasil. (2002b). Resolução CNE/CP nº 2, de 19 de fevereiro. Dispõe sobre a duração e a carga horária dos cursos de Licenciatura, de Graduação Plena, de Formação de Professores da Educação Básica em nível superior. Brasília: Diário Oficial da União. http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/res2_2.pdf

Brasil. (2004). Resolução CNE/CES nº. 7, de 31 de março. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Educação Física. Brasília: Diário Oficial da União. http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/ces0704edfisica.pdf

Brasil. (2015). Resolução CNE/CES nº 2, de 1º de julho. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Brasília: Diário Oficial da União. http://pronacampo.mec.gov.br/images/pdf/res_cne_cp_02_03072015.pdf

Brasil. (2018). Resolução CNE/CES nº. 6, de 18 de dezembro. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais dos cursos de graduação em Educação Física . Brasília: Diário Oficial da União. http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=104241-rces006-18&category_slug=dezembro-2018-pdf&Itemid=30192

Bronfenbrenner, U. (1987). La ecología del desarrollo humano. Paidós.

Collier, L. S. & Souza, C. T. V. (2017). Metodologias ativas na formação do professor de Educação Física. Revista Práxis, 9(18), 79-88.

Costa, L. A. & Nascimento, J. V. (2006). Prática pedagógica de professores de educação física: conteúdos e abordagens pedagógicas. Journal of Physical Education, 17(2), 161-167. http://dx.doi.org/10.4025/reveducfisv17n2p161-167

Cronin, C. & Lowes, J. (2016). Embedding experiential learning in HE sport coaching courses: an action research study. Journal of Hospitality, Leisure, Sport & Tourism Education, 18, 1-8. http://dx.doi.org/10.1016/j.jhlste.2016.02.001

Darido, S. C. (1995). Teoria, prática e reflexão na formação profissional em Educação Física. Motriz, 1(2), 124-128.

Enright, E., Coll, L., Ní Chróinín, D. & Fitzpatrick, M. (2017). Student voice as risky praxis: democratising physical education teacher education. Physical Education and Sport Pedagogy, 22(5), 459-472. http://dx.doi.org/10.1080/17408989.2016.1225031

Fensterseifer, A., Jesus, J., Nascimento, J. V. & Nahas, M. V. (2005a). Projeto de reformulação do curso de licenciatura em Educação Física. Florianópolis. http://edfisica.grad.ufsc.br/files/2017/05/Projeto-Pedag%C3%B3gico-do-Curso-de-Licenciatura.pdf

Fensterseifer, A., Jesus, J., Nascimento, J. V. & Nahas, M. V. (2005b). Projeto de implantação do curso de bacharelado em Educação Física. Florianópolis. http://edfisica.grad.ufsc.br/files/2016/09/Projeto-Pedag%C3%B3gico-Bacharelado-em-Educa%C3%A7%C3%A3o-F%C3%ADsica-UFSC.pdf

Iza, D. F. V. & Souza Neto, S. (2014). Os desafios do estágio curricular supervisionado em Educação Física na parceria entre universidade e escola. Movimento, 21(1), 111-123. http://dx.doi.org/10.22456/1982-8918.46271

Jarvis, P. (2014). From adult education to lifelong learning and beyond. Comparative Education, 50(1), 45-57. http://dx.doi.org/10.1080/03050068.2013.871832

Keller-Franco, E. & Masetto, M. T. (2018). Formação docente em processos de mudança: análise de uma proposta de inovação curricular em cursos de licenciatura. Revista Portuguesa de Educação, 31(2), 153-174. http://dx.doi.org/10.21814/rpe.14592

Mack, O., Khare, A., Krämer, A. & Burgartz, T. (2016). Managing in a VUCA World. Springer.

MacPhail, A., Patton, K., Parker, M. & Tannehill, D. (2014). Leading by example: teacher educators' professional learning through communities of practice. Quest, 66(1), 39-56. http://dx.doi.org/10.1080/00336297.2013.826139

Marcon, D., Graça, A. & Nascimento, J. V. (2011). Critérios para a implementação de práticas pedagógicas na formação inicial em educação física e implicações no conhecimento pedagógico do conteúdo dos futuros professores. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, 25(3), 497-511. http://dx.doi.org/10.1590/S1807-55092011000300013

Marcon, D., Graça, A. & Nascimento, J. V. (2012). Práticas pedagógicas como cenário para a construção do conhecimento pedagógico do conteúdo dos futuros professores de educação física. Journal of Physical Education, 23(2), 295-306. http://dx.doi.org/10.4025/reveducfis.v23i2.12462

Mendes, E. H., Nascimento, J. V., Nahas, M. V., Fensterseifer, A. & Jesus, J. F. (2006). Avaliação da formação inicial em educação física: um estudo delphi. Journal of Physical Education, 17(1), 53-64. http://dx.doi.org/10.4025/reveducfisv17n1p53-64

Milistetd, M., Ciampolini, V., Mendes, M. S., Cortela, C. C. & Nascimento, J. V. d. (2018). Student-coaches perceptions about their learning activities in the university context. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, 40(3), 281-287. http://dx.doi.org/10.1016/j.rbce.2018.03.005

Milistetd, M., Galatti, L. R., Collet, C., Tozetto, A. V. B. & Nascimento, J. V. (2017). Sports coach education: guidelines for the systematization of pedagogical prectices in bachelor program in physical education. Journal of Physical Education, 28, e2849. http://dx.doi.org/10.4025/jphyseduc.v28i1.2849

Monteiro, S., Almeida, L. S., Cruz, J. F. A. & Vasconcelos, R. M. (2010). Percepções de alunos de excelência relativamente ao papel dos professores: um estudo com alunos de engenharia. Revista Portuguesa de Educação, 23(2), 213-238.

Nascimento, J. V. (1998). A formação inicial universitária em educação física e desportos: uma abordagem sobre o ambiente percebido e a autopercepção de competência profissional de formandos brasileiros e portugueses [Unpublished doctoral thesis]. Faculdade de Ciências do Desporto e de Educação Física, Universidade do Porto, Portugal.

Nascimento, J. V. (1999). A formação inicial universitária em Educação Física e desportos uma abordagem ecológica com formandos brasileiros e portugueses. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, 21(1), 658-664.

Nascimento, J. V., Ramos, V., Marcon, D., Saad, M. A. & Collet, C. (2009). Formação acadêmica e intervenção pedagógica nos esportes. Motriz, 15(2), 358-366.

Neira, M. G. (2017). Análise e produção de relatos de experiência da educação física cultural: uma alternativa para a formação de professores. Textos FCC, 53, 53-103.

Oliver, K. L., & Oesterreich, H. A. (2013). Student-centred inquiry as curriculum as a model for field-based teacher education. Journal of Curriculum Studies, 45, 394-417. http://dx.doi.org/10.1080/00220272.2012.719550

Pereira, S. G. P., Milan, F. J., Borowski, E. B. V., Almeida, T. R. d. & Farias, G. O. (2018). Trajetória de estudantes na formação inicial em Educação Física: o estágio curricular supervisionado em foco. Journal of Physical Education, 29(1), 1-12. https://doi.org/10.4025/jphyseduc.v29i1.2959

Pires, V., Nascimento, J. V., Farias, G. O. & Suzuki, C. C. M. (2017). Identidade docente e educação física: um estudo de revisão sistemática. Revista Portuguesa de Educação, 30(1), 35-60. http://dx.doi.org/10.21814/rpe.74015

R-Core-Team (2014). A language and environment for statistical computing. http://www.R-project.org

Rangel-Betti, I. C. & Galvão, Z. (2001). Ensino reflexivo em uma experiência no ensino superior em Educação Física. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, 22(3), 105-116.

Roberts, D. (2010). Vicarious learning: a review of the literature. Nurse Educ Pract, 10(1), 13-16. http://dx.doi.org/10.1016/j.nepr.2009.01.017

Rocha, D. D. d. & Rezer, R. (2015). Estética, formação inicial e dança: um olhar para a formação de professores de Educação Física. Movimento, 21(4), 12. http://dx.doi.org/10.22456/1982-8918.51878

Romão, J. E. (2019). Avaliação neoliberal e avaliação contra-hegemônica. Revista Teias, 20(56), 362-374. http://dx.doi.org/10.12957/teias.2019.36167

Salles, W. N., Farias, G. O., Egerland, E. M. & Nascimento, J. V. (2013). Avaliação da formação inicial em Educação Física: um estudo com egressos da UFSC. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, 21(3), 61-70. http://dx.doi.org/10.18511/0103-1716/rbcm.v21n3p61-70

Shulman, L. (1987). Knowledge and teaching: foundations of the new reform. Harvard educational review, 57(1), 1-23. http://dx.doi.org/10.17763/haer.57.1.j463w79r56455411

Thomas, J. R., Nelson, J. K. & Silverman, S. J. (2012). Métodos de pesquisa em atividade física. Artmed.

Weimer, M. (2002). Learner-centered teaching: five key changes to practice. Jossey-Bass.

Zimmermann, M. H., Silveira, R. M. C. F. & Gomes, R. Z. (2019). O Professor e a arte de avaliar no ensino médico de uma Universidade no Brasil. Revista Brasileira de Educação Médica, 43(3), 5-15. http://dx.doi.org/10.1590/1981-52712015v43n3rb20180167

Downloads

Publicado

2021-07-06

Como Citar

Backes, A. F., Lima, A. B., Oliveira, V. P., Arantes, L. C., Salles, W. das N., Moura, W. A. M., & Nascimento, J. V. (2021). Ambiente percebido na formação inicial: investigação com estudantes universitários de educação física. Revista Portuguesa De Educação, 34(1). https://doi.org/10.21814/rpe.18632

Edição

Secção

Artigos