Literacy and Nationalization of Italian Children in Brazil

Prescriptions on Textbooks

Keywords: history of education, nationalism, italian immigration

Abstract

The following article discusses aspects of Italian nationalization found in two primary education textbooks in Brazil, which were used in Italian schools in this country. It analyses how the ideal of an Italian nation was instilled in Italian elementary school students in Brazil at the beginning of the 20th century, through many references to figures such as the queen mother, kings, and Italian national heroes. It also highlights the reactions to such inculcation methods from many sectors of Brazilian society.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biography

Rosa Lydia Teixeira Corrêa, Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Brazil

Professora Titular do Programa de Pós-Graduação em Educação, Mestrado e Dourado em Educação, da Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Líder do Grupo de Pesquisa Instituições Escolares no Brasil. Desenvolve pesquisas no campo de História da Educação destacadamente em temas relacionados às disciplinas, manuais e saberes escolares.

References

Carvalho, J. M. de. (2003). Os três povos da República. Revista USP, 17(set.-out.-nov.), 96-115.

Choppin, A. (2002). O historiador e o livro escolar. História da Educação, 11, 5-24.

Corrêa, R. L. T. (2000). O livro escolar como fonte de pesquisa na História da Educação. In Cultura escolar, práticas e apresentações. Cadernos CEDES, 52, Centro de Estudos Educação e Sociedade, UNICAMP.

Bittencourt, C. M. F. (1993). Livro didático e conhecimento histórico: uma história do conhecimento escolar. (Tese de Doutorado em Educação). Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Calkins, N. A. (1861). Primary Object Lessons For a Graduated Course of Development. A manual for Teachers and parents, with Lessons for the proper training of the faculties of children. New York: Harper & Brothers, Publishers, Franklin Square.

Cenni, F. (2003). Italianos no Brasil. (3ª edição). São Paulo: EDUSP.

Certeau, M. (1994) A invenção do cotidiano. Rio de Janeiro / Petrópolis: Vozes.

Choppin, A. (1992). Les manuels scolaires : histoire et actualité. Paris : Hachette.

Comte, A. (1996). Curso de Filosofia Positiva: um discurso preliminar sobre o positivismo; Catecismo positivista. São Paulo: Abril Cultural.

Comte, A., & giannotti, J. A. (1996). Curso de Filosofia Positiva. São Paulo: New Culture.

Foucault, M. (1995). As palavras e coisas. São Paulo: Martins Fontes.

Hebrard, J. (1990). A escolarização dos saberes elementares na era moderna. Revista Teoria e Educação, 2, 65-110.

Hessen, J. (1974). Filosofia dos Valores. (4ª edição). Coimbra: A. Beloved.

Hobsbawm, E. (1996). A Era das Revoluções 1789-1848. (6ª edição). Trad. Maria Tereza Lopes Teixeira e Marcos Penchel. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Hobsbawm, E. (2013). Nações e Nacionalismo desde 1780: programa, mito e realidade. Trad. Maria Celia Paoli and Nana Maria Quirino. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Jr. Gatti, D. (1997). Livros didáticos, conhecimento disciplinar e cultura escolar: primeiras aproximações. História da Educação, 2, 29-50.

Julia, D. (2001). A Cultura escolar como objeto histórico. Trad. Gizele de Souza. Revista Brasileira de História da Educação, 1(1, Jan./jun.), 8-43.

Makino, M. (1971-1974). Contribuição ao estudo da legislação sobre os núcleos coloniais no período imperial. Anais do Museu Paulista. São Paulo.

Nagle, J. (1985). Educação na Primeira República. In O Brasil Republicano (Volume III, 2nd Volume, Society, and Institutions). São Paulo: DIFEL.

Reis Júnior, J. C. B. dos. (1914). Relatório Apresentado ao Secretário do Interior pelo Diretor Geral da Instrução Pública. Anuário de Ensino do Estado de São Paulo.

Rousseau, J-J. (2009). El Contrato Social. Emilio. Madrid: Prisa Innova.

Souza, R. F. (1998). Templos de Civilização. A implantação da escola graduada em São Paulo (1890-1910). São Paulo: UNESP Publishing House.

Torres, A. (1933). O problema nacional brasileiro: introdução a um programa de organização nacional. (2ª edição). São Paulo: Companhia Editora Nacional.

Trento, A. (1989). Do Outro Lado do Atlântico: Um século de imigração italiana no Brasil. (1ª edição). São Paulo: Nobel.

Valdemarin, V. T. (1998). O Método Intuitivo: os sentidos como janelas e portas que se abrem para o mundo. In R. F. Souza, V. T. Valdemarin & J. S. Almeida, O Legado Educacional do Seculo XIX (pp. 85-132). São Paulo: Araraquara, UNESP, Faculdade Ciências e Letras.

Valdemarin, V. T. (2004). Estudando Lições de Coisas: análise dos fundamentos filosóficos do método de ensino intuitivo. Campinas, SP: Associated Authors.

Veiga, C. G. (2011). A escola e a República: o Estado e as políticas educacionais nacionais. Revista Brasileira de História da Educação, 11(1), 143-178.

Veronesi, P.R. I. (1914). I Sussidi all scuole italiane in America. In Italica Gens, nª 1 and 2.

SOURCES

Sillabario Italiano Illustrato, per la sezione inferiore dela prima classe elementare maschile e femminale ad uso dele scuole italiane al Brasile [s.d]

Bocci, D., Zacarias, A., Alfani, A., Dazzi, Bencivenni, I., & Prato, ece. [s.d]. Lo Scolaretto Italo-Brasiliano, libro III, ad uso dela classe terza ementare, compilato per uso dele scuole Italiani al Brasile conforme i ultimi programmi governativi Italiani Brasilliani. S. Paulo: Typ. A Vapor da Casa Endrizzi.

Jornal Gazeta de Campinas. (1907). Janeiro.

Jornal Cidade de Campinas. (1909). Maio.

Published
2018-10-31