Editorial

O Interesse da Psicanálise para a Educação

Autores

  • Teresa Sá Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém
  • Joel Santos Centro Doutor João dos Santos – Casa da Praia

DOI:

https://doi.org/10.25755/int.25097

Resumo

Sigmund Freud, no seu trabalho “O interesse da Psicanálise” (1913/1984), questionou-se, isto é, questionou-nos, a respeito da importância de um olhar psicanaliticamente informado sobre a Educação. Próprio dos pioneiros, abriu um novo lugar - um lugar Outro - no qual os educadores se haveriam de sentar e dar formas a um sentir vindo de dentro, pensando-o, perguntando de si, do Outro e de si com o Outro. João dos Santos, psicanalista e pedagogo, curiosamente nascido nesse mesmo ano, nunca desistiu de nos chamar a atenção para a importância de um olhar que não se deixasse repousar nas superfícies do fenómeno educativo (Santos, 1991), insistindo na necessidade de que o olhar de cada educador chegasse às profundidades, ao jamais dito, propondo “o psicanalista na escola ”(Santos,1988a) e que a ciência das profundidades trouxesse a escola para o interior da sua reflexão. É com João dos Santos que encontramos os primeiros diálogos da Psicanálise aplicada à Educação em Portugal, desafiando cada um de nós a tomar para si o pensamento e a questionar o que pensamos saber, como nos diz em “se não sabe porque é que pergunta?” (Santos,1988b).

Downloads

Publicado

2021-07-24