Sándor Ferenczi e os Princípios para uma Ética do Cuidado nas Práticas Educativas

Autores

  • Daniel Kupermann Professor Associado do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo
  • Gustavo Dean-Gomes Doutorando no Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.25755/int.25100

Resumo

Pretendemos, nesse artigo, explicitar as consequências da aplicação, para o campo da educação, dos princípios para uma ética do cuidado destacados no pensamento do psicanalista Sándor Ferenczi. Encontramos reflexões sobre a educação ao longo de toda a sua obra; demonstraremos, porém, que sobretudo a partir da “virada de 1928” promovida por Ferenczi no campo psicanalítico, os princípios da hospitalidade, da empatia e da saúde do cuidador tornam-se as balizas não apenas para a prática clínica, mas também para nortear a ética das práticas educacionais, evitando o potencial traumático presente em todo ato que almeja a transmissão de um saber.

Downloads

Publicado

2021-07-24