A sobredotação na Região Autónoma da Madeira: Desenvolvimento de políticas e práticas educativas

Giftedness in the Autonomous Region of Madeira: Development of policies and educational practices

Palavras-chave: Sobredotação, Altas capacidades, Práticas educativas, Educação inclusiva

Resumo

A atenção à sobredotação e a alunos com altas capacidades, na Região Autónoma da Madeira (RAM), tem sido referenciada pelo seu pioneirismo no contexto português. Neste artigo descreve-se a evolução desde os anos 90 dos mecanismos de atendimento das crianças e adolescentes com elevadas capacidades, e respetivo enquadramento legal. Os dados foram recolhidos a partir de entrevistas a alguns dos intervenientes neste processo e através da consulta de documentos disponíveis. Assim, foi possível organizar o percurso histórico da sobredotação na Madeira, apresentando um breve enquadramento da emergência do apoio à sobredotação e descrevendo três fases sequenciais do mesmo: (a) Implementação de serviços de atendimento; (b) Consolidação da prestação de serviços; e (c) Serviços prestados na atualidade. De uma forma geral, apesar da evolução e modificação dos serviços, o investimento tem-se centrado no processo de identificação e de intervenção, na formação e na prática baseada em evidência, procurando fazer convergir as atuações com as orientações internacionais na área. Apontam-se algumas reflexões sobre as políticas públicas na área da sobredotação, tendo como premissa a escola inclusiva e uma melhoria de serviços que promovam a igualdade de oportunidades e a diferenciação das práticas educativas, em função das características e necessidades de cada aluno.

 

Downloads

Dados de downloads ainda não estão disponíveis.

Referências

Almeida, L. S., & Pereira, M. (2003). Os alunos sobredotados numa escola e sociedade inclusivas: Alguns desafios e respostas possíveis por parte do sistema educativo. Revista Diversidades, 2, 24-30.
Antunes, A., & Almeida, L. (2008). O atendimento educativo dos sobredotados: Ritmos diferentes nos Estados Unidos, na Europa e em Portugal. Revista Diversidades, 19, 4-8.
Colangelo, N., Assouline, S. G., & Gross, M. U. M. (2004). A nation deceived: How schools hold back America's brightest students (Vol. I). Iowa City: University of Iowa, Belin-Blank Center. [Disponível em http://www.accelerationinstitute.org/nation_deceived., consultado em 05/09/2018]. 

Diez, L. P., & Fernández, C. J. (2018). Influencia de la organización escolar en la educación de los alumnos de altas capacidades. Enseñanza & Teaching, 36(1), 151-178. doi:https://doi.org/10.14201/et2018361151178
Direção Regional de Educação (2013). O percurso da educação especial na Região Autónoma da Madeira. Revista Diversidades, 42, 4-49.
Fleith, D. S., Almeida, L. S., Alencar, E. M. S., & Miranda, L. (2010). Educação do aluno sobredotado no Brasil e em Portugal: Uma análise comparativa. Revista Lusófona de Educação, 16, 75-88.
Freeman, J. (2015). Why some gifted children are notably more successful in life than others with equal ability and opportunities. Revista de Educación, 368, 255-278. doi:10.4438/1988-592X-RE-2015-368-291
Gabinete de Apoio à Sobredotação. (2018). Programa saber e ser +. [Relatório de atividades]. Documento não publicado. Funchal: Direção Regional de Educação.
Hernández Torrano, D. & Gutiérrez Sánchez, M. (2014). El estudio de la alta capacidad intelectual en España: Análisis de la situación actual. Revista de Educación, 364, 251-272. doi: 10.4438/1988-592X-RE-2014-364-261
Leitão, A. I., Ramos, C., Jardim, J., Correia, V., & Almeida, L. S. (2005). Enriquecimento cognitivo com alunos portadores de altas habilidades: Experiência no 1º e 2º Ciclos do Ensino Básico. Sobredotação, 6, 127-137.
Leitão, A. I., Ramos, C., Jardim, J., Correia, V., & Almeida, L. S. (2006). Percepção dos professores e psicólogos na área da sobredotação. Sobredotação, 7, 103-117.
Miranda, L. C., & Almeida, L.S. (2018). Sobredotação em Portugal: Legislação, investigação e intervenção. In L. S. Almeida & A. Rocha (Coord.) Sobredotação: Uma responsabilidade coletiva! (pp.265-287). Porto: CERPSI.
Pinto, N., & Ramos, C. (2003). A experiência na avaliação e atendimento do aluno sobredotado na RAM. Revista Diversidades, 2, 31-32.
Pinto, N., Xavier, J., Henriques, M., & Domingos, R. (2015). Um breve périplo pelo apaixonante mundo da sobredotação. Revista Diversidades, 46, 23-31.
Pocinho, M., Almeida, L., Ramos, M. C., Correira, V., Rodrigues, P., & Correia, A. (2007). Atribuições causais paa o bom e fraco desempenho escolar: Estudo com alunos do 3º ciclo do ensino básico. Revista Psicologia, Educação e Cultura, 11(2), 343-355.
Ramos, C., Pinto. I., Correia, L. V., & Santos, L. (2002). Aferição de instrumentos de avaliação cognitiva junto da população estudantil da Região Autónoma da Madeira. Sobredotação, 3(2), 189-205.
Rodrigues, C. & Antunes, A. P. (2012). Escola inclusiva e sobredotação: Estudo exploratório sobre as pecepções dos professores. In L. S. Almeida, B. D. Silva & A. Franco (Orgs.), Actas do II Seminário Internacional Contributos da Psicologia em Contextos Educativos (pp. 637-647). Braga: CIEd-Universidade do Minho.
Sousa, A., Ramos, C., Santos, L., Correia, L. V., Almeida, L. S., & Oliveira, E. P. (2002). Bateria de provas de raciocínio (BPR5-6): Contributos para a sua vallidação e aferição. Sobredotação, 3(2), 231-244.
Subotnik, R. F., Olszewski-Kubilius, P., & Worrell, F. C. (2011). Rethinking giftedness and gifted education: A Proposed direction forward based on Psychological science. Psychological Science in the Public Interest, 12(1), 3–54. doi:10.1177/1529100611418056
Teixeira, M. (2011). A intervenção da DREER na sobredotação: Presente e futuro. Revista Diversidades, 34, 19-20.
Torres, L. L. (2018). Culturas de escola e excelência: entre a integração de todos e a distinção dos melhores. Revista de Sociología de la Educación (RASE), 11, (1), 167-185. doi: 10.7203/RASE.10.1.9135
Torres, L. L., & Palhares, J. A. (2015). Cultura, liderança e resultados escolares: uma abordagem a partir das representações dos alunos do ensino secundário. Revista Lusófona de Educação, 30, 99-121. [Disponível em http://revistas.ulusofona.pt/index.php/rleducacao/article/view/5131, consultado em 18/09/2018].
Tourón, J., & Freeman, J. (2017). Gifted education in Europe: Implications for policymakers and educators. In S. I. Pfeiffer (Ed.), APA Handbook on giftedness and talent. Washington: American Psychological Association.
Tourón, J., & Pfeiffer, S. (2015). Alta capacidad y desarrollo del talento: aspectos críticos. Revista de Educación, 368, 9- 11.
UNESCO. (1994). Declaração de salamanca sobre princípios, política e práticas na área das necessidades educativas especiais. [Disponível em http://redeinclusao.pt/media/fl_9.pdf, consultado em 18/09/2018].
Publicado
2020-06-29
Como Citar
Antunes, A. P., Almeida, L. S., Miranda, L. C., Xavier, J. O., Ramos, C., & Raffan, J. M. (2020). A sobredotação na Região Autónoma da Madeira: Desenvolvimento de políticas e práticas educativas: Giftedness in the Autonomous Region of Madeira: Development of policies and educational practices. Revista Portuguesa De Educação, 33(1), 121-136. https://doi.org/10.21814/rpe.18654
Secção
Artigos