Seduz-me. Deseja-me. Ou talvez não - A voz dramática do desejo

Autores

  • Cátia Faísco Doutoranda em Estudos de Teatro na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa

Resumo

Desde os tempos antigos, o desejo sexual tem sido objecto de múltiplas reflexões filosóficas e tem servido como uma força magnética de força coerciva para a criação das mais diversas obras artísticas. No contexto teatral, o seu potencial tem sido explorado e (re)apresentado não só através de uma tradição dramatúrgica, mas também através da sua materialização performativa. Assim, este artigo propõe uma breve abordagem ao tema do desejo sexual, o seu significado e significados dentro do drama britânico contemporâneo, tendo como exemplo a voz da geração pós-intérprete de dramaturgos como Nick Payne, Anya Reiss Penelope Skinner, entre outros. Os autores escolhidos revelam um retrato da sociedade do ano 2000 (2000- 2015), e as suas peças foram transformadas em espectáculos que estrearam no Royal Court Theater em Londres. Este artigo visa também compreender como o desejo sexual é comunicado no âmbito de um diálogo e como as suas personagens transmitem (ou não) uma abordagem naturalista da perspectiva dos dramaturgos sobre a sua sociedade contemporânea.

 

DESEJO SEXUAL / TEATRO DA CORTE REAL / REINO UNIDO / TEATRO CONTEMPORÂNEO

Downloads

Publicado

2021-04-16

Como Citar

Faísco, C. (2021). Seduz-me. Deseja-me. Ou talvez não - A voz dramática do desejo . Sinais De Cena, (4), 103–111. Obtido de https://revistas.rcaap.pt/sdc/article/view/21935

Edição

Secção

Estudos aplicados