Âmbito

A revista está aberta à participação de quem quiser colaborar enviando artigos que julgue corresponderem aos objectivos da publicação e às modalidades enunciadas pelas rubricas existentes.

Processo de Revisão por Pares

Os artigos propostos são submetidos a uma primeira análise por parte da Comissão Editorial. Os artigos que se integrem no âmbito disciplinar da revista são posteriormente submetidos a arbitragem científica (peer review) de especialistas das áreas respectivas (referees), em regime de anonimato. Os referees serão escolhidos de entre os membros do Conselho Científico, recorrendo-se também a outros especialistas no domínio das propostas de publicação. A decisão final de publicação é da responsabilidade da Comissão Editorial, com base nos pareceres emitidos pelos referees. No caso de serem sugeridas aos autores alterações ou correcções, a Comissão Editorial zelará pela efectiva introdução das mesmas.

Política de Acesso Livre

Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.

Contribuidor

Histórico da Revista

Uma colaboração entre a Associação Portuguesa de Críticos de Teatro e o Centro de Estudos de Teatro da Universidade de Lisboa tornou possível o lançamento, em Junho de 2004, desta publicação que visa criar um espaço de documentação, debate, análise e avaliação do que no campo do teatro – e de outras artes performativas – se vem praticando nas suas múltiplas vertentes criativas, tanto em Portugal (seu vértice maior de interesse e preocupação), como no resto do mundo (onde possamos ir, ou de onde possamos receber colaborações relevantes).

A revista Sinais de cena foi fundada em 2004 por Carlos Porto, Luiz Francisco Rebello, Paulo Eduardo Carvalho e Maria Helena Serôdio, que a dirigiu até 2014. Durante esses dez anos, manteve uma periodicidade semestral (Junho e Dezembro). Até ao número 10 (Dezembro de 2008), foi editada pela Campo das Letras. A publicação dos números 11 (Junho de 2009) a 22 (Dezembro de 2014) esteve a cargo da Húmus. A presente série II teve início em Junho de 2016, sob a chancela das edições Orfeu Negro.