Active Child Citizenship in Territories of Social Exclusion

Keywords: childhood, neighbourhood, participation, citizenship, inclusion

Abstract

Children play a key role in building knowledge, both on themselves and on the contexts in which they move, enabling a greater understanding of how they approach their lives, especially in contexts as specific as the neighbourhood of social housing.
We sought to understand, question and mobilize children as active agents in the processes of meaning attribution to their ways of life in their fields of action, faced with the possibility of assuming themselves as subjects endowed with a meaningful action in such contexts.
Children shown social skills of participation in the analysis, identification and involvement in social life, assuming their own points of views, identifying problems, assigning responsibilities and offering proposals for their resolution, thus showing self-sufficiency and leadership in their lives. Although without adult support they could not continue to develop the change they initially proposed, they changed attitudes and achieved a place of higher power.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biography

Maria João Pereira, Instituto Superior de Educação da Universidade do Minho, Portugal

É doutorada em Estudos da Criança, especialidade em Sociologia da Infância, pelo Instituto de Educação da Universidade do Minho, mestre em Sociologia da Infância e Licenciada em Jornalismo Internacional. Dedica-se ao ensino e formação, nomeadamente ao desenvolvimento e implementação de projetos de jornalismo escolar, escrita e leitura, com crianças e adolescentes, com vista à promoção da inclusão, valorização do percurso escolar e das competências académicas, pessoais e sociais.

References

Aires, L. (2011). Paradigma Qualitativo e Práticas de Investigação Educacional. Lisboa: Universidade Aberta.

Alderson, P. (2005). As Crianças como Pesquisadoras: Os Efeitos dos Direitos de Participação Sobre a Metodologia de Pesquisa. Educação e Sociedade, 26(91), 419-442.

Alderson, P., & Morrow, V. (2011). The Ethics Of Research With Children And Young People – A Practical Handbook. London: Sage.

Ballesteros, A. (2016). La Ampliación de la Participación Infantil en México. Una Aproximación Sociológica a sus Razones, Obstáculos y Condiciones. Sociológica, 31(87), 111-142.

Bogdan, R., & Biklen, S. (1994). Investigação Qualitativa em Educação. Uma Introdução à Teoria e aos Métodos. Porto: Porto Editora.

Castells, M. (2002). Urban Sociology in the Twenty-First Century. Cidades, Comunidades e Territórios, 5, 9-19.

Checkoway, B., & Richards-Schuster, K. (2003). Youth Participation in Community Evaluation. American Journal Of Evaluation, 24(1), 21-33.

Corsaro, W. (2011). Sociologia da Infância. (2ª Edição). Porto Alegre: Artmed.

Delgado, A., & Müller, F. (2005). Sociologia da Infância: Pesquisa com Crianças. Educação Social, 26(91), 351-360.

Fernandes, N. (2005). Infância e Direitos: Participação das Crianças nos Contextos de Vida – Representações, Práticas e Poderes. Braga: Universidade do Minho.

Fernandes, N. (2009). Infância, Direitos e Participação. Representações, Práticas e Poderes. Porto: Edições Afrontamento.

Francischini, R., & Fernandes, N. (2016). Ética e Pesquisa com Crianças: Questões e Desafios desde a Sociologia da Infância. Estudos de Psicologia (Campinas), 33(1), 61-69.

Giddens, A. (2008). Sociologia. (6ª Edição). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

Graham, A., & Fitzgerald, R. (2010). Progressing Children’s Participation: Exploring the Potential of a Dialogical Turn. Childhood, 17(3), 343-359.

Grafmeyer, Y. (1994). Sociologia Urbana. Mem-Martins: Publicações Europa-América.

Graue, M., & Walsh, D. (2003). Investigação Etnográfica com Crianças: Teorias, Métodos e Ética. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

Hill, M., Davis, J., Prout, A., & Tisdall, K. (2004). Moving the Participation Agenda Forward. Children & Society, 18(2), 77-96.

Jung, J. K. (2015). Community Through The Eyes Of Children: Blending Child-Centered Research And Qualitative Geovisulization. Children's Geographies, 13(6), 722-740.

Komulainen, S. (2007). The Ambiguity Of The Child's ‘Voice’ In Social Research. Childhood, 14, 11-28.

Lansdown, G. (2001). Promoting Children's Participation in Democratic Decision-Making (No. innins01/9).

Leandro, M., Xavier, A., & Cerqueira, S. (2000). A Reelaboração das Sociabilidades Urbanas Familiares. O Caso do Bairro Social da Atouguia. In IV Congresso Português de Sociologia. Jardim de Nóbrega, Braga, Universidade do Minho, Portugal.

Lincoln, Y., & Denzin, N. (2003). Turning Points in Qualitative Research: Tying Knots in a Handkerchief (V.2). Rowman Altamira.

Lincoln, Y. S., & Guba, E. G. (2000). Paradigmatic Controversies, Contradictions and Emerging Confluences. In N. K. Denzin & Y. S. Lincoln (Eds.), Handbook of Qualitative Research (2ª edição, pp. 163-188). London: Sage.

Marques, T. (Coord.) (2008). Relatório Preliminar de Avaliação Externa da IBC no Bairro do Lagarteiro. Porto: Universidade Católica Portuguesa, Faculdade de Ciências Humanas, Centro de Estudos de Serviço Social e Sociologia.

Marchi, R. (2007). A Infância não Reconhecida: As Crianças “De Rua” como Atores Sociais. In Anais do II Seminário Nacional Movimentos Sociais, Participação e Democracia (pp. 552-572). Florianópolis, Brasil: UFSC.

Marchi, R. C., & Sarmento, M. J. (2017). Infância, normatividade e direitos das crianças: transições contemporâneas. Educação & Sociedade, 38(141), 951-964.

Pant, M. (2008). Participatory Research. Participatory Lifelong Learning and Information and Communication Technologies. UNESCO.

Prout, A., & James, A. (1997). A New Paradigm for the Sociology of Childhood? Provenance, Promise and Problems. Constructing and Reconstructing Childhood: Contemporany Issues in the Sociologial Study of Childhood, 2.

Qvortrup, J. (2010). A Infância enquanto Categoria Estrutural. Educação e Pesquisa, 36(2), 631-643.

Saint-Exupéry, A. (1946). Le Petit Prince. Paris : Éditions Gallimard.

Santana, J., & Fernandes, N. (2011). Pesquisas Participativas com Crianças em Situação de Risco e Vulnerabilidade: Possibilidades e Limites. In XI Congresso Luso Afro Brasileiro de Ciências Sociais. Diversidades e (Des) Igualdades. Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador, Brasil.

Sarmento, M. (2000). Sociologia da Infância: Correntes e Confluências. Cadernos do Noroeste. Série Sociologia, 2(13). Braga: IEC/Universidade do Minho.

Sarmento, M. (2005). Gerações e Alteridade: Interrogações a partir da Sociologia da Infância. Educação Social, 26(91), 361-378.

Sarmento, M. (2006). Conhecer a Infância: Os Desenhos das Crianças como Produções Simbólicas. Braga: Instituto de Estudos da Criança, Universidade do Minho.

Sirota, R. (2001). Emergência de Uma Sociologia da Infância: Evolução do Objecto e do Olhar. Cadernos de Pesquisa, 112, 7-31.

Trevisan, G. (2007). Quando for grande quero ser... Criança: Considerações Sobre as Interacções entre Pares na Infância. In CIANEI Congresso Internacional de Aprendizagem na Educação de Infância, 2 "Quem Aprende mais? reflexões sobre a educação de infância (pp. 67-81). V. N. Gaia: Gailivro / Porto: ESEPF.

Vis, S. A., Holtan, A., & Thomas, N. (2011). Participation and Health – A Research Review of Child Participation in Planning and Decision‐Making. Child & Family Social Work, 16(3), 325-335.

Published
2019-10-31