Cognitive Inclusion in the Additive and Multiplicative Concept Fields of a Blind Student

Authors

  • Luiza Ojeda Hoffmann Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências e Matemática, Universidade Luterana do Brasil, Brazil https://orcid.org/0000-0003-0997-5202
  • Claudia Lisete Oliveira Groenwald Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências e Matemática, Universidade Luterana do Brasil, Brazil https://orcid.org/0000-0001-7345-8205
  • Marlise Geller Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências e Matemática, Universidade Luterana do Brasil, Brazil https://orcid.org/0000-0002-9640-2666

DOI:

https://doi.org/10.25749/sis.27377

Keywords:

additive and multiplicative conceptual fields, cognitive inclusion, social mathematics, elementary school

Abstract

Mathematics, as a space for social inclusion, promotes autonomy in everyday situations with knowledge that demands an understanding of the concept of numbers and operations (addition, subtraction, multiplication, and division). This article presents an excerpt from a master's thesis which aimed to implement a didactic sequence for the development of Conceptual Fields of additive and multiplicative structures in Natural Numbers for a congenitally blind student. With a qualitative approach, pedagogical interventions were described over three semesters, identifying that the student understood the concept of numbers. Then, throughout the process, the students commenced the proper organization of schemes to solve problem situations involving additive and multiplicative structures. Since the student is blind, his mental schemes are represented orally and/or with tactile material. It is inferred that a didactic sequence can contribute to the process of developing mathematical notions, respecting the student's learning pace.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biographies

Luiza Ojeda Hoffmann, Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências e Matemática, Universidade Luterana do Brasil, Brazil

Licenciada em Matemática pela Universidade Luterana do Brasil (ULBRA), mestranda do Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências e Matemática (PPGECIM) da ULBRA.

Claudia Lisete Oliveira Groenwald, Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências e Matemática, Universidade Luterana do Brasil, Brazil

Licenciada em Matemática, Doutora em Ciências da Educação pela Pontifícia de Salamanca (Espanha), Pós-doutorado em Tecnologias Educacionais pela Universidade de La Laguna em Tenerife (Espanha). Atua na Universidade Luterana do Brasil (ULBRA) no Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências e Matemática (PPGECIM) e no curso de Matemática Licenciatura. Atualmente é presidente da Sociedade Brasileira de Educação Matemática (SBEM) e secretária do Comitê Interamericano de Educação Matemática (CIAEM). É editora da revista Acta Scientiae da ULBRA.

Marlise Geller, Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências e Matemática, Universidade Luterana do Brasil, Brazil

Mestre em Educação pela PUCRS e doutora em Informática na Educação pela UFRGS. Atua na Universidade Luterana do Brasil (ULBRA), no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática (PPGECIM) e nos cursos de Licenciatura.

References

Brasil. (2015). Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Brasília. Retirado de: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm

Brasil. (2018). Base Nacional Comum Curricular: Educação é a base. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Básica. Retirado de: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf

Brasil / Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – INEP. (2022). Resumo Técnico: Censo Escolar da Educação Básica 2021. Brasília, DF: Inep. Retirado de: https://download.inep.gov.br/publicacoes/institucionais/estatisticas_e_indicadores/resumo_tecnico_censo_escolar_2021.pdf

Cervo, A. L., Bervian, P. A., & Silva, R. (2007). Metodologia científica. (6ª Edição). São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Dosvox. (2022, 6 de junho). Conheça o DOSVOX. Retirado de: http://intervox.nce.ufrj.br/dosvox/

Grossi, E. P., & Bordin, T. (2010). Paixão de aprender. (1ª Edição). Petrópolis: Vozes.

Imenes, L. M., Jakubovic, J., & Lellis, M. (2007). Novo caminho: Matemática, 1° grau. São Paulo: Scipione. Coleção Novo Caminho.

Lüdke, M., & André, M. E. D. A. (2013). Pesquisa em educação: Abordagens qualitativas. São Paulo: EPU.

Magina, S., Campos, T. M. M., Gatirana, V., & Nunes, T. (2008). Repensando adição e subtração: Contribuições da teoria dos campos conceituais. (3ª Edição). São Paulo: PROEM.

Moreira, A. F., & Silva Junior, P. M. S. (2017). Conhecimento escolar nos currículos das escolas públicas: reflexões e apostas. Currículo sem Fronteiras, 17(3), 489-500.

Sganzerla, M. A. R., & Geller, M. (2020). Tecnologia assistiva na construção do conceito de número: um estudo envolvendo ações de estudantes com deficiência visual e professores. Acta Scientae. Canoas, 22(4, jul./ago), 155-179. Retirado de: http://www.periodicos.ulbra.br/index.php/acta/article/download/5964/pdf_1

Sganzerla, M. A. R., & Geller, M. (2021). Conhecendo o número: um estudo sobre o uso de Tecnologia Assistiva e materiais adaptados por estudantes cegos e/ou baixa visão. Revista Benjamin Constant - Temas contemporâneos para a acessibilidade da criança com deficiência visual - Dossiê Temático, 27(63), e276303. Retirado de: http://revista.ibc.gov.br/index.php/BC/article/view/832

Skovsmose, O. (2001). Educação matemática crítica: a questão da democracia. (4ª Edição). Campinas: Papirus.

Vergnaud, G. (1990). La théorie des champs conceptuels. Recherches en Didactique des Mathématiques, 10(23), 133-170.

Vergnaud, G. (1993). Teoria dos campos conceituais. In L. Nasser (Ed.), Anais do 1º Seminário Internacional de Educação Matemática do Rio de Janeiro (pp. 1-26). Rio de Janeiro: SBEM.

Vergnaud, G. (1994). Multiplicative conceptual field: what and why? In H. Guershon & A. Confrey, Multiplicative Conceptual Field: What and Why? (pp. 41-59). N.Y.: State University of New York Press.

Vergnaud, G. (1996). Algunas ideas fundamentales de Piaget en torno a la didáctica. Perspectivas, 26(10), 195-207.

Vergnaud, G. (1998). El niño, las matemáticas y la realidad: problemas de la enseñanza de las matemáticas en la escuela primaria. (1ª Edição). Mexico: Trillas.

Vergnaud, G. (2009). A criança, a matemática e a realidade: problemas de ensino da matemática na escola elementar. (Tradução de Maria Luiza Faria Moro; Revisão técnica de Maria Tereza Carneiro Soares). Curitiba: Editora da UFPR.

Vergnaud, G. (2017). O que é Aprender? Porque a Teoria dos Campos Conceituais. In E. P. Grossi (Org.), O que é Aprender? Iceberg da conceitualização. Porto Alegre: GEEMPA.

Young, M. F. D. (2016). Por que o conhecimento é importante para as escolas do século XXI? Cadernos de Pesquisa, 46(159), 18-37.

Published

2022-10-31