A actividade Física e Desportiva e a Terceira Idade. Estudo Centrado no Concelho de Celorico da Beira

C. Silva, A. Pereira

Abstract


É extensa a literatura que evidencia os benefícios que a actividade física promove ao nível da saúde e do bem-estar dos idosos (Sallis, 1998; Spirduso, Francis & MacRae, 2005). Porém, é importante saber até que ponto a actividade física está a ser promovida e entendida no nosso país, nomeadamente em concelhos rurais do interior centro do país. Nesse sentido, a presente investigação pretendeu identificar as representações que a população idosa do concelho de Celorico da Beira tem acerca das actividades físicas, averiguar as suas práticas e conhecer as aspirações a este nível.
O estudo centrou-se em 12 idosos, de ambos os sexos, com idades compreendidas entre os 65 e os 90 anos, utentes de seis instituições da terceira idade do concelho, aos quais foram realizadas entrevistas semi-estruturadas (Creswell, 1994; Ruquoy, 2005). A técnica de tratamento da informação utilizada foi a “análise de conteúdo” (Bardin, 2008).
A maioria dos inquiridos manifestou um grande interesse pela actividade física, sendo as razões mais apontadas para a sua prática o convívio, o prazer/bem-estar e a saúde.
As actividades mais praticadas são as proporcionadas nas instituições, salientando-se os exercícios de mobilização global, os jogos com /sem bola e as caminhadas.
No que se refere às actividades físicas que os idosos gostariam de praticar verifica-se que os jogos tradicionais, os percursos pedestres, os exercícios nas máquinas (bicicleta e tapete rolante) e as actividades aquáticas são as mais desejadas.


Full Text:

PDF (Português)

References


• American College of Sports Medicine (1998). Position stand on exercise and physical activity for older adults. Medicine and Science in Sports and Exercise, 30 (6), 992-1008.

• American College of Sports Medicine (2000). Manual de consulta para el control y la prescripción de ejercicio. Barcelona:Paidotribo.

• Bardin, L. (2008). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.

• Bogdan, R. & Birklen, S. (1994). Investigação qualitativa em educação. Uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora.

• Carvalho, J. & Soares, J. (2004). Envelhecimento e força muscular - breve revisão. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, Vol. 4, n.º 3, 79-93.

• Charry Joya, C. (2006). ¿Nuevos o viejos debates? Las representaciones sociales y el desarrollo moderno de las Ciencias Sociales. Revista de Estudios Sociales, 25, 81-94.

• Creswell, J. (1994). Research design. Qualitative & quantitative approaches. London: Sage Publications.

• Denzin, N. & Lincon, Y. (Eds) (2000). Handbook of Qualitative Research (2nd ed.). London: Sage Publications.

• Ghiglione, R., & Matalon, B. (2001). O Inquérito. Teoria e prática (4ªed.). Oeiras: Celta Editora.

• Grufe, O. (2001). El significado dei movimiento, el juego y el deporte para las personas mayores In R. Baur, R. Egeler. Gimnasia, Juego y Deporte para Mayores. Editorial Paidotribo, Barcelona, Pp. 9-37.

• Guedes, O.C. (2001). Idoso, Esporte e Actividades Físicas. Ideia Editora. Brasil.

• Jones, C. & Rose, D. (2005). Physical Activity Instruction of Older Adults. U.K.: Human Kinetics.

• Lima, N. M.(2002). Auto - estima e actividade física. Contributo de um programa de actividade física na auto-estima em adultos idosos do concelho de Coimbra. Porto: Dissertação de Mestrado apresentada à Faculdade de Ciências do Desporto e de Educação Física da Universidade do Porto.

• Malliou, P., Fatouros, I., Beneka, A., Gioftsidou, A., Zissi, V., Godolias, G. e Fotinakis, P. (2003). Different training programs for improving muscular performance in healthy inactive elderly. Isokinetics and Exercise Science, 11, 189-195.

• Marques, J., Pereira. N. (1999). Hidroginástica: exercícios comentados: cinesiologia aplicada à hidroginástica. Rio de Janeiro: Ney Pereira.

• Matsudo, S. & Matsudo, V. (1993). Prescrição e benefícios da actividade física na terceira idade. Horizonte, Vol. IX, n.º 54, Março-Abril, 221-228.

• Melo, F. & Barreiros, J. (2002). A terceira idade, uma população de peso a nível social. Boletim SPEF, Maio/Agosto, n.º 23, 23-36.

• Moscovici, S. (1984). Social representations. Cambridge: Cambridge University.

• Mota, J. (1999). Promoção da Actividade Física nos Idosos: uma Perspectiva Global In J. Mota, J. Carvalho, (eds.), A Qualidade de Vida no Idoso - O Papel da Actividade Física - Actas do Seminário. Porto: F.C.D.E.F. - Universidade do Porto. Pp. 65-69.

• Mota, J.; Ribeiro, J.; Carvalho, J. & Matos, M. (2006). Atividade física e qualidade de vida associada à saúde em idosos participantes e não participantes em programas regulares de atividade física. Rev. Brasileira Educação Física Especial, Vol. 20, n.º3, jul./set., 219-25,

• Natário, A. (1992). Envelhecimento em Portugal, uma realidade e um desafio. Revista Portuguesa de Saúde Pública. Lisboa: ENPS. Pp 46-55.

• Pont Geis, P. (2003). Atividade física e saúde na terceira idade: teoria e prática (5ªed). Porto Alegre:Artmed.

• Ruquoy, D. (2005). Situação de entrevista e estratégia do entrevistador. In L. Albarello, et al., Práticas e métodos de investigação em Ciências Sociais (2ªedição). Lisboa: Gradiva. Pp. 84-116.

• Sallis, J. F. (1998). Physical activity & behavioural medicine. Sage Publications.

• Santos, J. (2002). Envelhecimento, actividade física e nutrição. Horizonte, Vol. XVIII, n.º 104, Novembro – Dezembro, 21-25.

• Spirduso, W.; Francis, K.; MacRae, P. (2005). Physical Dimensions of Aging (2nd Edition). U.K.: Human Kinetics.

• Strauss, A. & Corbin, J. (1998). Basics of Qualitative Research. Techniques and procedures for developing grounded theory (2nd edition). London: Sage Publications.

• Veríssimo, M. T. (2001). Exercício Físico e envelhecimento. In A. M. Pinto (Ed.), Envelhecer Vivendo. Coimbra: Quarteto Editora. Pp. 125-135.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.




Developed by:

Licença Creative CommonsIndexed in: