A criança e o adolescente como actores sociais: fomentando o "kidpower"

Raquel Maria Ferreira Veloso Fontes, Manuela Maria da Conceição Ferreira

Abstract


Este artigo aborda o papel da criança e do adolescente na construção do mundo social, sugerindo uma rotura com os modelos tradicionais de abordagem da infância, para um novo paradigma, que os considera como actores sociais, capazes de participar na estruturação do seu percurso de vida, de saúde e de bem-estar. É evidenciada a necessidade de aplicação dos princípios da Sociologia da Infância no
âmbito da Promoção da Saúde e da Educação para a Saúde, especialmente no que concerne ao planeamento das intervenções de Saúde Escolar.


Full Text:

PDF (Português)

References


Banks, J. A. (1991). A Curriculum for Empowerment, Action, and Change. In C. E.

Sleeter (Eds.), Empowerment through multicultural education (pp.125-141). Albany: State University of New York.

Ferreira, M. (2002, Novembro). Criança tem voz própria. Jornal a Página da Educação, 11(117), 1-5. Consultado em 25 de Março de 2005, através de http://www.apagina.pt/arquivo/

Ferreira, M. (2004). Do “avesso” do brincar ou… as relações entre pares, as rotinas da cultura infantil e a construção da(s) ordem(ens) social(ais) instituinte(s) das crianças no Jardim de Infância. In M. Sarmento e A., Cerisara. Crianças e Miúdos: Perspectivas Sociopedagógicas da Infância e Educação (pp. 55-104). Porto: Edições Asa.

Frasquilho, M. (1998). Estilo de vida, comportamentos e educação para a saúde: Comportamento problema e comportamento saudável segundo os adolescentes. Revista Portuguesa de Saúde Pública, 16 (1), 13-19.

Hagquist, C., & Starring, B. (1997). Health education in schools – from information to empowerment models. Health Promotion International, 12(3), 225-232.

Helman, C. G. (2001). Culture, Health and Illness (4th Ed.) London: Arnold.

Hohmann, M., & Weikart, D. (2004). Educar a criança (3ª ed.). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

Kalnins, I., Hart, C., Ballantyne, P., Quartaro, G., Love, R., Sturis, G. & Pollack, P. (2002).

Children’s perceptions of strategies for resolving community health problems. Health Promotion International, 17(3), 223-233.

Kalnins, I., McQueen, D., Backett, K., Curtice, L., & Currie, C. (1992). Children, empowerment and health promotion: some new directions in research and practice. Health Promotion International, 7(1), 53-59.

Loureiro, I. (2004). A importância da educação alimentar: o papel das escolas promotoras de saúde. Revista Portuguesa de Saúde Pública, 22(2), 43-55.

Mayall, B. (2002). Towards a Sociology for Childhood. Thinking from children’s lives. Buckingham: Open University Press.

Navarro, M. F. (2000). Educar para a saúde ou para a vida? Conceitos e fundamentos para novas práticas. In J. Precioso et al. (Eds.). Educação para a saúde (2ª ed., pp. 13-28). Braga: Departamento de Metodologias da Educação. Universidade do Minho.

Pang, V. O. (1991).Teaching children abaut social issues: Kidpower. In C. E. Sleeter (Eds.), Empowerment through multiculture education (pp.179–197). Albany: State University of New York.

Rocha, E. A. (2004). A criança e educação: caminhos da pesquisa. In M. Sarmento e A., Cerisara. Crianças e Miúdos: Perspectivas Sociopedagógicas da Infância e Educação (pp. 245-256). Porto: Edições Asa.

Sarmento, M. (2004). A Escultura da Infância nas Encruzilhadas da Segunda Modernidade. In M. Sarmento e A., Cerisara. Crianças e Miúdos: Perspectivas Sociopedagógicas da Infância e Educação (pp. 9-34). Porto: Edições Asa.

Sarmento, M. J. & Cerisara, A. (2004). Crianças e Miúdos: Perspectivas

Sociopedagógicas da Infância e Educação. Porto: Edições Asa.

Simovska, V. (2004). Student participation: a democratic education perspective-experience from the health-promoting schools in Macedonia. Health Education Research, 19(2), 198-207.

Soares, N. F. & Tomás, C. (2004). Da emergência da participação à necessidade de consolidação da cidadania da infância… Os intrincados trilhos da acção, da participação e protagonismo social e político das crianças. In M. Sarmento e A., Cerisara. Crianças e Miúdos: Perspectivas Sociopedagógicas da Infância e Educação (pp. 135-161). Porto: Edições Asa.

Tones, K. (1999). Health promotion, health education and the public health (3rd revised edition). In R. Detels et al., Oxford textbook of public health: the methods of public health (pp. 1-67), Oxford: Oxford University Press.

Tones, K. (2000). Health Promotion and the Role of Nurses in Promoting the Public Health. Comunicação apresentada no Seminário “A educação e promoção da saúde – uma abordagem de capacitação nos contextos hospitalar e comunitário” na ESECP.

UNICEF (2004). A Convenção Sobre os Direitos da Criança.

www.unicef.pt/docs/pdf_publicações/convenção_direitos_criança2004.pdf, consultado em 12 de Agosto 2006.

WHO (1998). Health Promotion Glossary. Geneva: World Health Organization.

WHO (2005). European strategy for child and adolescent health and development. Copenhagen: WHO Regional Office for Europe. http://www.euro.who.int/Documents/E87710.pdf., consultado em 17 de Agosto de 2006.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.




Developed by:

Licença Creative CommonsIndexed in: