Motivação Profissional dos Anestesiologistas em Portugal

  • Luis Carlos Silva Ferreira
  • Joana Pedreira
  • Camile Lanzaro
  • Ana Bernardino
  • M. Lurdes Bela
Palavras-chave: Anestesiologistas; Corpo Clínico Hospitalar; Inquéritos e Questionários; Motivação; Satisfação no Emprego

Resumo

Introdução: A motivação laboral tem vindo a ganhar um lugar de destaque no desempenho organizacional, com relevo em aspetos como: gestão estratégica, desempenho individual e degrupo, qualidade e sucesso dos resultados. Este estudo pretende aferir a motivação profissional dos anestesiologistas em Portugal e
avaliar potenciais diferenças entre os grupos sociodemográficos e profissionais.

Material e Métodos: Estudo observacional transversal, descritivo e analítico realizado através de um questionário enviado por correio eletrónico a todos os médicos internos e especialistas em
Anestesiologia, inscritos na Sociedade Portuguesa de Anestesiologia. O questionário incluía 16 perguntas de ordem demográfica e profissional e 28 questões relacionadas com motivação laboral. Foi
realizada análise descritiva e exploratória dos dados obtidos através do programa SPSS 24.0®.

Resultados: Responderam ao inquérito 110 médicos. Os scores médios motivacionais foram sempre iguais ou superiores a 3 em todos os domínios do inquérito. A motivação relativa à Organização do Trabalho foi o domínio com o score mais baixo, sendo que os especialistas apresentaram piores valores comparativamente aos internos (p<0,05). Os anestesiologistas que trabalham em hospitais não universitários, os que têm atividade privada e os solteiros parecem estar mais motivados (p<0,05).

Discussão: Os resultados motivacionais podem ser considerados satisfatórios e encorajadores, no entanto é de ter em conta que, provavelmente, foram os profissionais mais motivados que responderam de forma voluntária a este questionário.

Conclusão: Os anestesiologistas parecem manter níveis de motivação satisfatórios, embora as questões organizacionais tenham obtido piores scores relativamente aos restantes domínios, sendo esta uma área que merece maior reflexão e melhoria.

Downloads

Dados de Download não estão ainda disponíveis.

Referências

1. Goncharuk AG. Exploring a motivation of medical staff. Int J Health Plann Manage. 2018;33:1013-23. doi: 10.1002/hpm.2555.

2. World Health Organization. The World Health Report - Health Systems Financing: The Path to Universal Coverage. Geneva: WHO; 2010.

3. A Siyam, MR Dal Poz. Migration of health workers: WHO code of practice and the global economic cirsis. Geneva: World Health Organization; 2014.

4. Pinder CC. Work Motivation in Organizational Behaviour. London: Psychology Press; 1998.

5. Tsounis A, Sarafis P, Bamidis P. Motivation among physicians in Greek public health-care sector. Br J Med Res. 2014;4:1094-1105.

6. Lobos J. Teorias sobre motivação no trabalho. Rev Admin Empresas. 1975;15:17-25.

7. Maslow AH. A theory of human motivation. Psychol Rev. 1943;50:370-96.

8. Ferrreira A, Diogo C, Ferreira M, Valente AC. Construção e validação de uma Escala Multi-Factorial de Motivação no Trabalho (Multi-Moti). Comportamento Organizacional Gestão. 2006;12:187-98.

9. Rego, A. Os motivos de sucesso, afiliação e poder: desenvolvimento e validação de um instrumento de medida. Análise Psicol. 2000;18:335-44.

10. Marôco J, Marôco AL, Leite E, Bastos C, Vazão MJ, Campos J. Burnout em profissionais de saúde portugueses: uma análise a nível nacional. Acta Med Port. 2016;29: 24-30. doi: 10.20344/amp.6460.

11. Lemos P, Guedes A, Mourão J, Lima JF, Veiga J, Chedas M,et al. Censos 2017: Existe número suficiente de anestesiologistas em Portugal? Acta Med Port. 2018;31:254-64. doi: 10.20344/amp.10094.
Publicado
2019-03-28
Como Citar
Ferreira, L., Pedreira, J., Lanzaro, C., Bernardino, A., & Bela, M. L. (2019). Motivação Profissional dos Anestesiologistas em Portugal. Revista Da Sociedade Portuguesa De Anestesiologia, 28(1), 4 - 9. https://doi.org/10.25751/rspa.15241