Dinâmicas familiares e investimento na escola à saída do ensino obrigatório.

Autores

  • Ana Matias Diogo Universidade dos Açores

DOI:

https://doi.org/10.25755/int.292

Palavras-chave:

Família, Investimento em educação, Classe social, Desigualdades, Análise de regressão logística.

Resumo

Este artigo apresenta algumas linhas de força de um trabalho mais vasto sobre o investimento realizado pelas famílias em matéria de escolaridade, na transição para o ensino secundário. O investimento das famílias é perspectivado a partir da articulação das abordagens clássicas da sociologia da educação, com um conjunto de contributos direccionados para o contexto familiar, enquanto espaço de dinâmicas sujeitas a lógicas que não se esgotam no ethos de classe. Concebendo a família como condição social e simultaneamente como grupo, procurou-se conhecer, num estudo empírico realizado na ilha de S. Miguel, as dinâmicas familiares com impacto na escolaridade dos jovens. Com recurso a modelos de regressão logística pudemos concluir que na origem das desigualdades de investimento na escola se encontram processos ligados às diferenças de condição social, mas independentemente destas, também dinâmicas de mobilização no sucesso e na carreira escolar por parte das famílias.

Downloads

Publicado

2006-03-02

Como Citar

Diogo, A. M. (2006). Dinâmicas familiares e investimento na escola à saída do ensino obrigatório. Interacções, 2(2). https://doi.org/10.25755/int.292

Edição

Secção

Número 2 - Pluralidade de olhares sobre escolas e famílias e suas intra e inter-relações.