Tabagismo e Síndrome Coronário Agudo: A Hermenêutica de um Paradoxo

Authors

  • Mauro Lopes Mota Unidade Local de Saúde da Guarda, EPE – Unidade de Cirurgia de Ambulatório e Ambulância Suporte Imediato de Vida – INEM, Hospital Nossa Senhora da Assunção, Seia, Portugal http://orcid.org/0000-0001-8188-6533

DOI:

https://doi.org/10.29352/mill0202e.07

Keywords:

Hábito de Fumar, Síndrome Coronariana Aguda, Literatura de Revisão como Assunto, Metanálise.

Abstract

Resumo

Contexto: O tabagismo é um importante fator de risco, modificável, responsável por inúmeras patologias, nomeadamente o Síndrome Coronário Agudo. Assumindo esta relação seria expectável verificar-se uma mortalidade superior nos doentes fumadores, contudo esta tendência não é consensual entre os estudos.  

Objetivo: Comparar as diferenças de mortalidade entre fumadores e não-fumadores com Síndrome Coronário Agudo.

Método de Revisão: Aplicou-se a metodologia da Cochrane. Incluíram-se estudos que comparavam doentes fumadores e não-fumadores com Síndrome Coronário Agudo. Dois revisores independentes realizaram a avaliação crítica, extração e síntese dos dados.

Resultados: Foram incluídos 6 estudos retrospetivos (n=24929) e os resultados da meta-análise mostraram maior mortalidade nos não fumadores, sendo esta significativa no intra-hospitalar (RR=0,66; IC 95%= 0,53-0,84; p<0,05), a 1 mês (RR=0,78; IC 95%= 0,68-0,9; p<0,05) e 1 ano (RR=0,74; IC 95%= 0,67-0,83; p<0,05), exceto aos 6 meses (RR=0,53; IC 95%= 0,26-1,11; p=0,09).

Conclusão: Os doentes fumadores são mais jovens e com menos fatores de risco, o que parece explicar a redução da mortalidade.

Published

2017-07-14

How to Cite

Mota, M. L. (2017). Tabagismo e Síndrome Coronário Agudo: A Hermenêutica de um Paradoxo. Millenium - Journal of Education, Technologies, and Health, 2(2e), 83–91. https://doi.org/10.29352/mill0202e.07

Issue

Section

Life and Healthcare Sciences