Qualidade de Vida Relacionada com a Saúde Oral: Perceção Parental das Crianças em Idade Pré‐Escolar

  • Isabel Bica
  • João Duarte
  • Ana Camilo
  • Ana Jesus
  • Carla Ferreira
  • Filipa Oliveira

Abstract

Enquadramento: O conhecimento dos
determinantes de saúde que afetam a saúde oral e a qualidade
de vida das crianças são da maior importância para alavancar a 

definição de políticas de redução do risco de doença e de
promoção da saúde (DGS, 2008b).
Objetivo: Avaliar a perceção dos pais sobre a
Qualidade de Vida Relacionada com a Saúde Oral das crianças
em idade pré-escolar.
Metodologia: Estudo descritivo-correlacional e
transversal. Foi utilizado o Questionário Qualidade de Vida
Relacionado com a Saúde Oral das Crianças/Adolescentes
(Q2VRSOC/A), construído por Pahel, Rozier e Slade, (2007) e
traduzido e validado por Bica-Costa (2013), numa amostra de
412 pais/educadores de crianças (50,5% meninos e 49,5%
meninas), com idades compreendidas entre os 3 e 6 anos
(=4,33; DP=0,934), a frequentar jardins de infância do
distrito de Viseu.

Resultados: Apurou-se que 47,5% das
crianças/adolescentes apresenta bons hábitos de higiene oral;
31,9% fracos e 20,6% razoáveis. A Qualidade de Vida
Relacionada com a Saúde Oral é influenciada pela idade da
criança (p=.000); pela sua preferência alimentar (p=.014); pelo
estado de saúde geral (p=.034) e oral (p=.000); pela
abordagem da saúde e higiene oral realizada pelo enfermeiro
(p=.026); pela observação da boca e dentes das crianças pelos
pais (p=.006); pela consulta no dentista (p=.000) e pela
presença de cáries dentárias (p=.000).
Conclusão: Pelos resultados obtidos infere-se que
quanto maior o impacto dos problemas orais, pior é a
qualidade de vida relacionada com a saúde oral das crianças e,
sendo assim, é de primordial importância desenvolver ações
de educação para a saúde oral.

References

- Alvarez, J. H. A. (2009). Impacto das doenças e desordens bucais na qualidade de vida relacionada à saúde bucal de

crianças pré-escolares e de seus pais. (Dissertação de mestrado, Universidade de São Paulo). Acedido em:

<http://www.ufvjm.edu.br/site/ppgodonto/wp-content/uploads/2011/12/Dissertacao-Paulo.pdf>.

- Alves, D. S. A. & Gonçalves, A. (2009). Impacto da saúde oral na qualidade de vida dos jovens entre os 11

e os 14 anos. Revista da Faculdade de Ciências da Saúde, 6, 296-308.

- Bica, I., Cunha, M., Costa, J. & Reis Santos, M. (2013). Impact of oral health of the mother during

pregnancy on oral health of children. Revista Fetal e Neonatal, 98(Suppl. 1), A1-A112, 99.

- Bica, I., Cunha, M., Rodrigues, V. & Santos, M.R. (2013). Parental oral hygiene practices: influence on

their children habits. Revista Atención Primária, 45(5): 91-92.

- Bica-Costa; M. I. (2013). Qualidade de vida relacionada com a saúde oral em adolescentes. Tese de

doutoramento, Universidade do Porto. Porto.

- Calvo, S. M. A. (2008). Conhecimentos dos pais das crianças dos 3 aos 5 anos face à importância da

lavagem dos dentes, num Jardim de Infância, na Maia. Monografia de licenciatura. Porto: Universidade

Fernando Pessoa. Acedido em <http://bdigital.ufp.pt/bitstream/10284/807/2/sofiacalvo.pdf>.

- DGS - Direção Geral da Saúde (2011). Orientação nº007, de 25/03/2011 - Programa nacional de promoção

da saúde oral - Plano B:. Disponível em <http://www.dgs.pt/?mid=5005&cr=19748>.

- DGS - Direção Geral da Saúde (2005). Circular normativa nº 1/DSE, de 18/1/2005 - Programa Nacional de

Promoção da Saúde Oral. Acedido em:

<http://www.arslvt.min-saude.pt/uploads/writer_file/document/223/SOr_doc1.pdf>.

- DGS - Direção Geral da Saúde (2008a). Estudo nacional de prevalência das doenças orais. Lisboa: DGS.

Acedido em <http://www.dgs.pt/default.aspx?cr=12995>.

- DGS - Direção Geral da Saúde (2008b). Programa nacional de promoção da saúde oral: Escovagem dos dentes

como fazer. Lisboa: DGS. Acedido em:

<https://www.saudeoral.minsaude.pt/sisoPnpsoRepo/Folheto_Escovagem_Dentes_Como_Fazer_i007736.pdf>

- Ferreira, M. A. F. (2012). Odontologia preventiva na primeira infância: Uma alternativa para se evitar o

medo e a ansiedade relacionados ao tratamento odontológico. Monografia de licenciatura. Universidade

Federal de Minas Gerais. Acedido em:

<http://www.nescon.medicina.ufmg.br/biblioteca/imagem/3807.pdf>.

- Pahel, B. T., Rozier, R. G. & Slade, G. D. (2007). Parental perceptions of children's oral health: The early

childhood oral health impact scale (ECOHIS). Health and Quality of Life Outcomes, 30, 5:6.

doi:10.1186/1477-7525-5-6.

- Rodrigues, H., Lamas, A., Rios, J., Torres, A., Ribeiro, C., Araújo, A. & Maciel, I. (2008). O que (não) se

sabe sobre higiene oral. Revista Saúde Infantil, 30(3), 102-105.

Published
2016-02-01
Section
Articles