A tutoria em contexto de ensino não superior: proposta de acompanhamento socioeducativo em equipa multidisciplinar

  • Esperança Jales Ribeiro
  • Catarina Oliveira
  • Célia Pereira
  • Diana Felgosa
  • Viviane Nunes

Abstract

A Escola assume um papel cada vez mais
significativo na vida dos jovens, propondo-se garantir uma
educação integral a todos os que acolhe, independentemente
da sua proveniência ou características. A necessidade
imperiosa de responder aos desafios provocados pelas
mudanças sociais “exige-lhe” uma desmedida ambição
pedagógica; trata-se de chegar a todos, esbater desigualdades,
contribuir para um processo de igualdade de oportunidades.
Torna-se, pois, imprescindível dotar a escola de meios que
possam servir tão grandes exigências, cada vez mais próximas
do domínio da acção socioeducativa. A proposta de
acompanhamento tutorial, que apresentamos, assenta neste
propósito, enquadrando e reflectindo o papel fundamental da
figura do Professor Tutor, cujas competências e perfil foram
legislados desde o princípio da década de noventa. Uma das
formas possíveis de perspectivar o papel do Professor Tutor
passa por enquadrá-lo no que designamos de Equipa
Multidisciplinar de Actuação Imediata (EMAI) constituída
pelos seguintes técnicos: Psicólogo, Assistente Social e
Educador Social, para além dos profissionais da estrutura da
organização do sistema educativo (caso do director de turma).
Depois de identificadas algumas das funções de cada
elemento, apresentar-se-á uma proposta de acompanhamento
tutorial, em contexto escolar, cuja missão deverá terminar com
a maioridade do menor sinalizado ou no momento do seu
ingresso no mundo de trabalho. Esta equipa deverá, ainda,
para cumprimento dos seus intentos, interagir com a família 

do menor e com as redes sociais de apoio local, de forma
coordenada, no sentido da promoção de acções de carácter
preventivo e interventivo no âmbito do plano de acção tutorial
definido.

References

• AZEVEDO, Nair Rios & Nascimento, Ana Teresa Brito (2007). Modelo de Tutoria: construção

dialógica de sentido(s). Interacções. Vol. 3, N.º 7. Pp. 97-115. ISSN 1646-2335. Consultado em Janeiro,

, de <http://nonio.eses.pt/interaccoes/>.

• Diário da República, 1.ª Série B, n.º 25, 30/01/2001 (Portaria n. 63/2001).

• Diário da República, 1.ª Série, n.º 79, 22/04/2008 (Decreto-Lei nº 75/2008 de 22 de Abril).

• Diário da República, Série I-B, nº 215, 09/11/2005 (Despacho Normativo n.º 50/2005).

• GOHN, M. (2006). Educação não-formal na pedagogia social. Congresso Internacional de Pedagogia

Social. Consultado em Março de 2010 em

<http://www.proceedings.scielo.br/scielo.php?pid=MSC0000000092006000100034&script=sci_arttext>.

• MAGALHÃES, T. (2002). Maus tratos em crianças e jovens. Coimbra: Quarteto.

• SEABRA, Isabel Leitão & Monteiro, Isabel (2009). Tutoria…Tutorias. Ozarfaxinars, n.º 5 e-revista do

CFAE de Matosinhos, ISSN 1645-9180. Consultado em Janeiro, 2010, de

http://www.cfaematosinhos.eu/Ed_ozarfaxinars_n5.htm.

• SIMÃO, A.; Flores, M. et al (2008). Tutoria no Ensino Superior: concepções e práticas. Sisifo. Revista

de Ciências da Educação, n.º 7. Consultado em Março de 2010 em

<http://sisifo.fpce.ul.pt/pdfs/D7VeigaSimãoetalPTG.pdf.>.

• ZENHAS, A. (2010). Professor Tutor: que funções e Objectivos?. Consultado em Janeiro, 2010, em

http://www.educare.pt/educare/Opiniao.Artigo.aspx?contentid=103762311B483A1FE0440003BA2C8E

&channelid=0&schemaid=&opsel=2.

Published
2016-02-04
Section
Articles