Formação de professores com base na lei 10639/03 cultura africana e o legado de eduardo mondlane nos dias atuais

  • Nilce Silva
  • Cléa M. da Silva Ferreira

Abstract

Segundo Libâneo (2003) deve-se levar em conta para a formação de professores um apanhado de estudos considerados no contexto social, econômico, político e cultural no qual ele está inserido, visto que o exercício profissional docente está sempre relacionado aos fins e às práticas do sistema escolar mais amplo e ao contexto social. 

Nesse contexto, merece atenção os chamados “velhos problemas” em relação à formação de professores, que evidenciam desarticulações em diferentes níveis, sendo considerado como o mais preocupante deles, a desarticulação entre teoria e prática, entre o discurso e a ação, o que se configura de grande gravidade no tocante às questões raciais no Brasil. 

Sendo assim, vale ressaltar a importância da formação desses profissionais na construção de um currículo que contemple as novas demandas da sociedade brasileira, hoje voltadas para a promoção da equidade social e a atenção para a diversidade cultural. A conseqüência imediata disso é a necessidade de construção teórica de um currículo crítico (APPLE, 1982; GIROUX, 1986; FREIRE & SHOR, 1997), que possibilite ao professor o resgate da cultura que o aluno é portador e não se limite apenas a prescrever o que deve ser ensinado.

References

ALARCÃO, I. Professores reflexivos em uma escola reflexiva. São Paulo: Cortez, 2003

APPLE, M. Ideologia e currículo. São Paulo: Brasiliense, 1982.

ASSIS, M. & CANEN, A. Identidade negra e espaço educacional: vozes, histórias e contribuições do multiculturalismo. Cadernos de Pesquisa. v. 34, n. 123, São Paulo. set/dez. 2004.

BRZEZINSKI, I. Pedagoga, pedagogos e formação de professores: busca e movimento. Campinas: Papirus, 1996.

BUENO, B. O.; CATANI, D.B. & SOUSA, C. P. A vida e o ofício dos professores: formação contínua, autobiografia e pesquisa em colaboração. São Paulo: Escrituras Editora, 1998.

CATANI, D. B. (Org.). Docência, memória e gênero: estudos sobre formação. São Paulo: Escritura, 1997.

CHEVALLARD, Y. La transposition didactique: du savoir savant au savoir

enseigné. Paris, Ed. La Fenseé Sauvage, 1991.

CONTRERAS, J. A autonomia de professores. São Paulo: Cortez, 2002.

FREIRE, P. & SHOR, I. Medo e ousadia: o cotidiano do professor. 7. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

GIROUX. H. Escola crítica e política cultural. São Paulo: Cortez: Autores

Associados, 1988.

LIBÂNEO, J. C. Educação Escolar: políticas, estrutura e organização. São Paulo: Cortez, 2003.

MARTINS, C. B. O ensino superior brasileiro nos anos 90. São Paulo em perspectiva – Revista da Fundação SEADE, v. 14, n.1, p. 41-60, jan./mar. 2000.

MATSINHE, Cristiano. “Biografias e heróis no imaginário nacionalista moçambicano” in Moçambique: Ensaios. Prefácio de Ken Wilson. Apresentação de Peter Fry. Rio de Janeiro: Editora da UFRJ, 2001.

Published
2016-02-11
Section
Articles