Acção da personalidade na saúde: contributos para a qualidade de vida

Authors

  • Maria da Conceição Almeida Martins

Keywords:

Personalidade, Padrão Comportamental tipo A, coronariopatia

Abstract

A incidência das doenças coronárias1 tem aumentado progressivamente nas últimas décadas, nomeadamente nos países ocidentais, bem como as suas nefastas consequências em termos de morbilidade e mortalidade.
Este aumento deve-se em grande parte ao facto dos indivíduos aderirem ao que se descreve como uma vida melhor. As pessoas tornam-se obesas e sedentárias, o avanço tecnico-científico submete-as ao stress e à urgência continuada.
Em consonância com este facto, Mota Cardoso (1998) refere que talvez “não seja por acaso que, no início deste século de cidade global e de triunfo das luzes, as doenças cardiovasculares sejam a maior causa de mortalidade dos que tiveram acesso aos seus benefícios”. 
Assim sendo, as lesões coronárias representam o maior problema de Saúde Pública dos países industrializados. Por outro lado, estas revestem-se de uma importância particular pela perda que representa em anos de vida activa para o indivíduo, família, colectividade e economia.
Neste artigo teceremos algumas considerações sobre a influência que a personalidade pode ter no aparecimento das doenças cardiovasculares. Assim,
começaremos pela definição de personalidade, sua importância e o papel que a personalidade desempenha no comportamento do indivíduo, tendo em conta a
interacção dos diferentes factores. Concluiremos esta análise, destacando alguns estudos efectuados nesta área.

References

ALLPORT, Gordon - Personalidade, padrões e desenvolvimento. S. Paulo. Editora Ender, 1966.

CASE et al. - Multicentre Post-Infarction research Group: Typo A behaviour and survival after acute myocardial infarction. New England Journal Medicine, (312) 1985, p. 737 - 741.

DIAS, António Madureira - Regresso ao trabalho após coronariopatia isquémica: subsídios para a identificação de alguns factores. Dissertação de Mestrado. Faculdade de medicina de Coimbra. Coimbra. 2003.

EYSENCK H. J. - The structure of human personality. 3ª ed. London: Methuen, 1976.

ENCICLOPÉDIA LUSO-BRASILEIRA DA CULTURA. 14 ed. Lisboa. Editorial

Verbo. 1991.

FONTAINE, A. M. Expectativas de sucesso e realização escolar em função do contexto social. Cadernos de Consulta Psicológica. Vol 3. 1987, p. 27 - 44.

FONTAINE, Ovide; ÉTIENNE, Anne-Marie. BROUETTE, B. - Pattern

comportamental de type A, stress et maladie coronarienne. Brève revue de la littérature. Revue Médicale de Liége. Vol. 24. 1987. p. 962 - 975.

FONTAINE, Ovide; KULBERTUS, H.; ÉTIENNE, Anne-Marie (1998). Stress e cardiologia. Lisboa. Climepsi.

GEADA, Manuel - Mecanismos de defesa de Coping e níveis de Saúde em adultos. Análise Psicológica Vol 2-3 (XIV) 1996, p. 191 - 201.

GLASS, D. - Stress, behavior patterns and coronary disease. American Science. (65). 1977, p. 179 - 186.

I.N.E. - Instituto Nacional de Estatística - Estatísticas da Saúde. 2000, p. 27 – 29.

LARSON, J. A. - New Perspectives on type A behavior: a psychiatric point of view. Journal Psychiatry in Medicine. (23), 1993. p. 1495 - 1502.

MAGNUSSON, D.; TORESTAD, B. - A holistic view of personality: a model revisited. Annual Review of Psychology. (44). 1993, p. 427 - 452.

MOTA CARDOSO, Rui; COELHO, Rui A. - Doentes coronários: grupoterapia e Psicodrama. Psiquiatria Clínica. 1 (2), 1980, p. 121 - 125.

MURPHY, K.; DAVIDSHOFER, C. - Psychological testing: principles and

applications. 4ª ed. Nova Jérsia. Prentice-Hall International, Inc. 1998.

RIBEIRO, J. L. P. - Investigação e avaliação em Psicologia da Saúde. Lisboa. Climpsi. 1999.

RIEGEL, Barbara; GOCKA, Ian - Gender differences in adjustment to acute myocardial infarction. Heart & Lung. San Diego. Calif. 24 (6). 1995, p. 457 – 466.

SHANFIELD, S. B. - Return to work after an acute myocardial infarction. American review. Heart Lung, (19), 1990, p. 109 - 117.

Published

2016-02-15

Issue

Section

Articles