Efeito das variáveis biológicas, socioculturais e motoras na prestação do lançamento em crianças pré-pubertárias

  • Carlos Marta Departamento de Desporto e Expressões, Instituto Politécnico da Guarda (IPG, Guarda, Portugal)
  • Natalina Casanova Departamento de Desporto e Expressões, Instituto Politécnico da Guarda (IPG, Guarda, Portugal)
  • Teresa Fonseca Departamento de Desporto e Expressões, Instituto Politécnico da Guarda (IPG, Guarda, Portugal)
  • Carolina Vila-Chã Departamento de Desporto e Expressões, Instituto Politécnico da Guarda (IPG, Guarda, Portugal)
  • Pedro T. Esteves Departamento de Desporto e Expressões, Instituto Politécnico da Guarda (IPG, Guarda, Portugal)
  • Maria Isabel Mourão Carvalhal Departamento de Ciências do Desporto, Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD, Vila Real, Portugal)
  • Mário C. Marques Departamento de Ciências do Desporto, Universidade da Beira Interior (UBI, Covilhã, Portugal)
  • Daniel A. Marinho Departamento de Ciências do Desporto, Universidade da Beira Interior (UBI, Covilhã, Portugal)

Abstract

O objetivo deste estudo foi analisar o efeito de fatores de ordem biológica, sociocultural e motora na prestação da habilidade motora fundamental lançamento, em crianças de 10 e 11 anos de idade. Tratou-se de um estudo transversal envolvendo 96 crianças, 49 rapazes e 47 raparigas (idade decimal, 10.94 ± 0.52). Foi avaliado o produto (distância) e processo (padrão motor) do lançamento. A comparação entre grupos no que respeita à distância do lançamento foi realizada com o t-teste enquanto no que se refere ao padrão de lançamento envolveu os testes de U Mann-Whitney e Kruskal-Wallis Recorreu-se à correlação de Pearson para analisar as associações entre as variáveis experimentais. A análise do efeito dos fatores na prestação da habilidade de lançamento envolveu o Modelo Geral Linear. As crianças situadas no estádio maduro de todos os componentes do lançamento tiveram o melhor desempenho (p<0.001). Verificou-se um efeito de elevada dimensão do número de assoalhadas da habitação (hp2 = 0.995; p= 0.043), tempo despendido com jogos eletrónicos ao sábado (hp2 = 0.995; p= 0.044), estatura (hp2 = 0.995; p= 0.045) e sexo do companheiro de brincadeira (hp2 = 0.996; p= 0.040) na prestação do lançamento. Conclui-se que em idades pré-pubertárias, para além das variáveis de natureza biológica, as variáveis socioculturais parecem desempenhar um papel fundamental na prestação da habilidade manipulativa lançamento.

Published
2016-06-24
Section
Original Article