A Intervenção da Inspeção na Avaliação Externa das Escolas: um estudo com base das perceções de diretores de escolas

Inspectorate’s Intervention in External School Assessment: A Study Based on School Principals perceptions

  • Arlete Nogueira Departamento de Educação e Psicologia da Universidade de Aveiro, Aveiro, Portugal http://orcid.org/0000-0001-7080-9081
  • Manuela Gonçalves Departamento de Educação e Psicologia da Universidade de Aveiro, Aveiro, Portugal http://orcid.org/0000-0002-3545-1173
  • Jorge Adelino Costa Departamento de Educação e Psicologia da Universidade de Aveiro, Aveiro, Portugal
Palavras-chave: Inspeção da educação, Avaliação externa das escolas, Diretores de escolas

Resumo

Em Portugal, o sistema de avaliação da educação e do ensino não superior surge em 2002, com a publicação da Lei n.º 31/2002, determinando pela mesma via jurídico-normativa que as escolas sejam submetidas a processos de avaliação externa. Este processo avaliativo foi confiado à Inspeção da Educação, a partir de 2007, passando este a ser um dos principais domínios da intervenção inspetiva. O presente estudo tem por objetivo analisar como é percecionado, por diretores de escolas públicas portuguesas, o papel da Inspeção no processo de Avaliação Externa das Escolas. Com uma natureza descritiva, o estudo apoiou-se na aplicação de um inquérito por questionário, respondido por 111 diretores do território de Portugal Continental. Os resultados evidenciam que a Avaliação Externa das Escolas é uma atividade inspetiva valorizada pelos diretores de escolas e desenvolvida em alinhamento, por um lado, com a missão e funções da Inspeção da Educação no sistema educativo, e, por outro, com os objetivos consignados na lei para aquela atividade. Evidencia-se ainda que os diretores de escolas percecionam esta atividade como oportunidade de afirmação da figura do diretor, de acreditação da sua liderança no exercício da sua autonomia.

Downloads

Dados de downloads ainda não estão disponíveis.

Referências

Afonso, A. J. (2009). Políticas avaliativas e accountability em educação – Subsídios para um debate ibero-americano. Sísifo. Revista de Ciências da Educação, 9, 57-70.

Afonso, A. J. (2014). Questões, objetos e perspetivas em avaliação. Avaliação, 19(2), 487-507.

Azevedo, J. M. (2007). Estudo: Avaliação das escolas: Fundamentar modelos e operacionalizar processos. In Conselho Nacional da Educação (Org.), Avaliação das escolas – Modelos e processos (Actas do seminário) (pp. 13-99). Lisboa, Portugal: Conselho Nacional da Educação.

Ball, S. (2001). Diretrizes e políticas globais e relações políticas locais de educação. Currículo sem Fronteiras, 1(2), 99-116.

Barroso, J. (2004). A regulação da educação como processo compósito: Tendências e desafios. In J. A. Costa, A. N. Mendes, & A. Ventura (Orgs.), Políticas e gestão local. Atas do III simpósio sobre organização e gestão escolar (pp. 13-22). Aveiro, Portugal: Universidade de Aveiro.

Barroso, J. (2005). O Estado, a educação e a regulação das políticas públicas. Educação & Sociedade, 26(92), 725-751.

Barroso, J., & Afonso, N. (2011). Políticas educativas: Mobilização de conhecimento e modos de regulação. Vila Nova de Gaia, Portugal: Fundação Manuel Leão.

Brandão, M., & Magalhães, A., (2011). Avaliação educacional, tecnologia política e discurso. Educação, Sociedade & Culturas, 33, 55-68.

Charters, E. (2003). The use of think-aloud methods in qualitative research: An introduction to think-aloud methods. Brock Education, 12(2), 68-82.

Clímaco, M. (2005). Avaliação de sistemas de educação. Lisboa, Portugal: Universidade Aberta.

Clímaco, M. (2011). Percursos de avaliação externa de escolas em Portugal. Balanços e propostas. In Conselho Nacional de Educação, Avaliação das escolas dos ensinos básico e secundário: Perspectivas para um novo ciclo avaliativo (pp. 67-108). Lisboa, Portugal: Conselho Nacional de Educação.

Conselho Nacional de Educação. (2011). Pareceres e recomendações. Lisboa, Portugal: Conselho Nacional de Educação.

Conselho Nacional de Educação. (2015). Avaliação externa das escolas. Disponível em http://www.cnedu.pt/content/edicoes/seminarios_e_coloquios/LIVROCNE_AVALIA%C3%87%C3%83O_EXTERNA_DAS_ESCOLAS.pdf

Costa, J. A. (2007). Avaliação, ritualização e melhoria das escolas: À procura da roupa do rei…. In Conselho Nacional da Educação (Org.), Avaliação das escolas – Modelos e processos (Actas do seminário) (pp. 229-236). Lisboa, Portugal: Conselho Nacional da Educação.

Costa, J. A., & Ventura, A. (2002). Avaliação integrada das escolas: Análise em torno das opiniões dos intervenientes. In J. A. Costa, A. Neto-Mendes, & A. Ventura (Orgs.), Avaliação de organizações educativas. Atas do II simpósio sobre organização e gestão escolar (pp. 106-108). Aveiro, Portugal: Universidade de Aveiro.

Coutinho, P. C. (2015). Metodologia de investigação em ciências sociais e humanas: Teoria e prática (2.ª ed.). Coimbra, Portugal: Almedina.

Faubert, V. (2009). School evaluation: Current practices in OECD and a literature review. OECD Education Working Papers, No. 42, OECD Publishing, Paris. http://dx.doi.org/10.1787/218816547156

Ferreira, C. (2016). A avaliação externa de escolas em Portugal: Reflexões sobre potencialidades e constrangimentos. Meta: Avaliação, 8(23), 359-379.

Fialho, I. (2011). A avaliação externa das escolas no Alentejo. In B. Nico (Coord.), Escola(s) do Alentejo: Um mapa do que se aprende no sul de Portugal (pp. 262-271). Mangualde, Portugal: Edições Pedago.

Figueiredo, C., Leite, C., & Fernandes, P. (2014). Modelos internacionais de avaliação externa. A avaliação de escolas em Portugal e na Inglaterra – Origem, fundamentos e percursos. In J. A. Pacheco (Org.), Avaliação externa de escolas: Quadro teórico/conceptual (pp. 121-146). Porto, Portugal: Porto Editora.

Fonseca, D. (2010). A gestão intermédia nos agrupamentos de escola. Os coordenadores de estabelecimentos e as lideranças periféricas (Tese de doutoramento, Universidade de Aveiro, Portugal). Disponível em http://hdl.handle.net/10773/1115

Fonseca, D., & Costa, J. A. (2018). Avaliação das escolas e regulação político-normativa: Uma análise de discursos. Movimento – Revista de Educação, 5(8), 210-243.

Gonçalves, M. (2012). Educação, trabalho e família. Trajetórias de diplomados universitários. Lisboa, Portugal: Fundação Calouste Gulbenkian / Fundação para a Ciência e a Tecnologia.

Inspeção-Geral da Educação (2001). Plano de Atividades 2001. Lisboa, Portugal: Inspeção- Geral da Educação.

Inspeção-Geral da Educação e Ciência. (2017). Plano de atividades 2017. Disponível em http://www.igec.mec.pt/upload/Instrumentos_Gestao/IGEC_PA_2017.pdf

Lima, L. (2011). Administração escolar: Estudos. Porto, Portugal: Porto Editora.

Mendes, M. (2009). Os sete pecados da governação global: Paulo Freire e a reinvenção das possibilidades de uma pedagogia democrática e emancipatória da educação. Revista Lusófona de Educação, 14, 61-76.

OCDE. (2013). Synergies for better learning: An international perspective on evaluation and assessment. OECD reviews of evaluation and assessment in education. OECD Publishing.

Disponível em https://www.oecd.org/education/school/Synergies%20for%20Better%20Learning_Summary.pdf

Pacheco, J. A. (Org.). (2014). Avaliação externa de escolas: Quadro teórico/conceptual. Porto, Portugal: Porto Editora.

Pacheco, J. A. (2015). Relatório do projeto AEENS – Impacto e efeitos da avaliação externa. In Conselho Nacional de Educação, Avaliação Externa das escolas (pp. 33-50). Lisboa, Portugal: Conselho Nacional de Educação. Disponível em:

http://www.cnedu.pt/content/edicoes/seminarios_e_coloquios/LIVROCNE_AVALIA%C3%87%C3%83O_EXTERNA_DAS_ESCOLAS.pdf

Santiago, P., Donaldson, G., Looney, A., & Nusche, D. (2012). OECD reviews of evaluation and assessment in education: Portugal 2012. OECD Publishing.

Disponível em: https://www.oecd-ilibrary.org/docserver/9789264117020-en.pdf?expires=1576597519&id=id&accname=guest&checksum=8ABCE70BD978F6C451870EE7168B71E0

Santos, B. S. (2001). Os processos de globalização. In B. S. Santos (Org.). Globalização: Fatalidade ou utopia? (3.ª ed., pp. 31-106). Porto, Portugal: Edições Afrontamento.

Silvestre, M. (2013). A avaliação das escolas. Avaliação nas escolas (Tese de doutoramento não publicada). Universidade de Évora, Évora, Portugal.

Terwee, C. B., Bot, S. D. M., de Boer, M. R., van der Windt, D. A. W. M., Knol, D. L., Dekker, J., … de Vet, H. C. W. (2007). Quality criteria were proposed for measurement properties of health status questionnaires. Journal of Clinical Epidemiology, 60(1), 34–42. http://doi.org/10.1016/j.jclinepi.2006.03.012

Tristão, E. (2016). A autoavaliação como instrumento das políticas de avaliação externa das escolas (Tese de doutoramento não publicada). Universidade de Lisboa, Lisboa, Portugal.

Tuckman, B. W. (2012). Manual de investigação em educação (4.ª ed.). Lisboa, Portugal: Fundação Calouste Gulbenkian.

Ventura, A. (2006). Avaliação e inspeção das escolas: Estudo de impacte do Programa de Avaliação Integrada (Tese de doutoramento não publicada). Universidade de Aveiro, Aveiro, Portugal.

Legislação

Decreto Regulamentar n.º 15/2012, de 27 de janeiro – Ministério da Educação e Ciência. Diário da República, 1.ª Série – N.º 20/2012, pp. 502-504.

Decreto Regulamentar n.º 81-B/2007, de 31 de julho – Ministério da Educação. Diário da República n.º 146/2007, 3º Suplemento, Série I, p. 4902- (21).

Decreto-Lei n.º 125/2011, de 29 de dezembro – Ministério da Educação e Ciência. Diário da República n.º 249/2011, Série I, pp. 5498-5508.

Decreto-Lei n.º 251-A/2015, de 17 de dezembro – Presidência do Conselho de Ministros. Diário da República n.º 246/2015, 1.º Suplemento, Série I, pp. 9778- (2) a 99778- (11).

Decreto-Lei n.º 75/2008, de 22 de abril – Ministério da Educação. Diário da República n.º 79, I. Série.

Despacho Conjunto n.º 370/2006, de 3 de maio – Ministério da Educação. Diário da República n.º 85, 2.ª Série, p. 6332.

Despacho n.º 13342/2016 – Ministério da Educação e Ciência. Diário da República n.º 215/2016, 2.ª Série, p. 33214.

Lei n.º 31/2002, de 20 de dezembro – Ministério da Educação. Diário da República - I. Série-A, n.º 294, p. 7952.

Proposta de Lei n.º 13/IX – Assembleia da República (2002). Diário da Assembleia da República, II Série – A, N.º 13/IX/1, p. 1130. Aprova o Sistema de Avaliação da Educação e do Ensino não Superior, desenvolvendo o regime previsto na Lei n.º 46/86, de 14 de outubro – Lei de Bases do Sistema Educativo.

Publicado
2019-12-31
Como Citar
Nogueira, A., Gonçalves, M., & Adelino Costa, J. (2019). A Intervenção da Inspeção na Avaliação Externa das Escolas: um estudo com base das perceções de diretores de escolas: Inspectorate’s Intervention in External School Assessment: A Study Based on School Principals perceptions. Revista Portuguesa De Educação, 32(2), 171-187. https://doi.org/10.21814/rpe.14812
Secção
Artigos