As vivências e percepções dos actores na formação inicial de professores: a figura do supervisor cooperante

  • Susana Caires Instituto de Educação da Universidade do Minho, Portugal
  • Maria Alfredo Moreira Instituto de Educação da Universidade do Minho, Portugal
  • Carla Hiolanda Esteves Escola Secundária de Felgueiras, Portugal
  • Diana Vieira Instituto Politécnico do Porto, Portugal

Resumo

O presente trabalho surge centrado nas vivências dos supervisores cooperantes relativamente ao processo de acompanhamento dos estágios pedagógicos. Neste, dá-se a conhecer um estudo envolvendo 155 supervisores que, ao longo do ano lectivo de 2007/8, colaboraram com quatro
universidades públicas portuguesas e cuja experiência foi avaliada através do Inventário de Vivências e Percepções do Supervisor (IVPS - Esteves, Caires & Moreira, 2008). O instrumento, composto por 77 itens, avalia três domínios centrais da vivência dos supervisores da escola: i) benefícios, ii) impacto pessoal e iii) dificuldades na adaptação às tarefas de supervisão. É nosso objectivo averiguar em que medida as variáveis "Área científica", "Anos de serviço", "Tempo de supervisão" e "Formação específica em supervisão" diferenciam as vivências e percepções dos participantes. Os dados apontam para a ausência de impacto das três primeiras variáveis referidas e para a influência da última nas vivências e percepções dos supervisores cooperantes.

Palavras-chave
Vivências; Percepções; Supervisor cooperante

Downloads

Dados de Download não estão ainda disponíveis.
Como Citar
Caires, S., Moreira, M. A., Esteves, C., & Vieira, D. (1). As vivências e percepções dos actores na formação inicial de professores: a figura do supervisor cooperante. Revista Portuguesa De Educação, 24(2), 59-79. https://doi.org/10.21814/rpe.3029
Secção
Artigos