MODELAÇÃO CRONOLÓGICA DE SEQUÊNCIAS SEDIMENTARES DO ESTUÁRIO DA RIBEIRA DE BENSAFRIM COM RECURSO À ESTATÍSTICA BAYESIANA

  • Paulo J. Cesário Portela Centro de Ciências e Tecnologias Nucleares (C2TN), Instituto Superior Técnico, Universidade de Lisboa
  • José Manuel Matos Martins Centro de Ciências e Tecnologias Nucleares (C2TN), Instituto Superior Técnico, Universidade de Lisboa
  • António Manuel Monge Soares Centro de Ciências e Tecnologias Nucleares (C2TN), Instituto Superior Técnico, Universidade de Lisboa
  • Ana Ramos-Pereira Centro de Estudos Geográficos, Instituto de Geografia e Ordenamento do Território, Universidade de Lisboa
  • João Araújo-Gomes Centro de Estudos Geográficos, Instituto de Geografia e Ordenamento do Território, Universidade de Lisboa
  • André Torres Centro de Estudos Geográficos, Instituto de Geografia e Ordenamento do Território, Universidade de Lisboa

Resumo

O estuário da Ribeira de Bensafrim, no Barlavento algarvio, foi um dos sistemas flúvio-marinhos utilizado para avaliar a evolução de ambientes costeiros ao longo dos últimos 5000 anos. Datou-se pelo radiocarbono a matéria orgânica sedimentar presente nos testemunhos verticais colhidos neste estuário. Tendo em conta o registo estratigráfico associado aos dados cronológicos obtidos, foi utilizada uma abordagem estatística bayesiana, fazendo uso do software de calibração OxCal, para obter um enquadramento geocronológico robusto para a sequência sedimentar. A análise efetuada, baseada na construção de um modelo de deposição para a sequência sedimentar, permitiu identificar a presença de outliers, bem como estabelecer um enquadramento geocronológico para os últimos 5000 anos no Barlavento algarvio. Para além deste enquadramento, verifica-se que o modelo geocronológico idealizado, associado à caracterização sedimentológica de um dos testemunhos, aponta para a presença de eventos de alta energia, designadamente o tsunami que se seguiu ao terramoto de Lisboa de 1755.

Publicado
2019-12-20
Secção
Artigos