SPATIAL PATTERNS OF ACCESS TO RETAIL FOOD OUTLETS IN MEXICO CITY

  • Ana Laura González-Alejo Instituto de Geografía do Departamento de Geografía Económica da Universidad Nacional Autónoma de México
  • Enrique Propin Frejomil Instituto de Geografía do Departamento de Geografía Económica da Universidad Nacional Autónoma de México
  • Ana Rosa Rosales-Tapia Instituto de Geografía do Departamento de Geografía Económica da Universidad Nacional Autónoma de México

Resumo

PADRÕES TERRITORIAIS DO ACESSO AO RETALHO ALIMENTAR NA CIDADE DO MÉXICO

Este artigo apresenta uma abordagem espacial, e quantitativa, para identificar padrões de acesso ao retalho alimentar e sua associação com a marginalização urbana na Cidade do México. A distribuição espacial dos estabelecimentos alimentares foi identificada pelo método das janelas móveis, numa escala de análise de 100 m2, para delimitar áreas com acesso diferenciado a estabelecimentos saudáveis e não saudáveis. Este método revelou que os padrões espaciais de acesso a lojas de retalho, que se manifestam em grandes áreas do centro, norte e leste da cidade, estão expostos a um ambiente insalubre de alimentos, enquanto as áreas periféricas do sul e sudeste estão sob a influência de desertos de alimentos. Foi revelado que 21,9% do território urbano da cidade é um ambiente de alimentação saudável, distribuindo-se pelo sul e oeste da cidade. Verificou-se também que a população com os níveis mais elevados de marginalização, e com níveis médios, são aqueles que estão expostos a ambientes insalubres de alimentos no retalho. O teste do Qui-quadrado e a regressão bivariada foram utilizados para determinar associações entre os níveis de marginalização da população, os tipos de ambientes alimentares no retalho, a escolaridade e a densidade populacional. Os resultados indicam uma associação entre altos níveis de marginalização e baixo acesso aos ambientes alimentares saudáveis, além de uma relação negativa entre os baixos níveis de escolaridade e a densidade de alimentos não saudáveis no território.

Palavras-chave: Acesso a alimentos; ambiente de retalho alimentar; disparidades espaciais de alimentos.

Publicado
2019-08-30
Secção
Artigos