THE CANTONESE ANCESTRAL CLAN BUILDING AS SOCIAL INTEGRATION PLATFORM

  • Rachel Suet Kay Chan National Institute of Ethnic Studies (n-KITA), National University of Malaysia (UKM)

Resumo

ESTÉTICA DA SUPER-DIVERSIDADE: O EDIFÍCIO DO CLÃ ANCESTRAL CANTONÊS COMO PLATAFORMA DE INTEGRAÇÃO SOCIAL. Na busca pelo desenvolvimento de cidades a longo prazo, importa debater se devemos reter elementos da cultura ou reinventar esses espaços para novos usos. A preservação do património cultural torna-se, assim, um problema no planeamento urbano. Os sítios e edifícios do património estão atualmente a enfrentar a grande ameaça do novo desenvolvimento urbano, particularmente nos países em desenvolvimento, incluindo a Malásia. No entanto, existem aqueles que defendem a preservação da identidade local em face do desenvolvimento urbano; afirmam que no centro da cidade de Kuala Lumpur, há áreas ricas em diversidade de identidade, e estas devem ser tornadas mais visíveis. Este artigo usa caso de estudo, Chan See Shu Yuen, um edifício de associação de clãs ancestrais Cantonense historicamente significativo que abriga patrimónios culturais tangíveis e intangíveis no coração de Kuala Lumpur. Através de uma abordagem mista, combinando entrevistas, pesquisas, análise de conteúdo, fotografia e videografia, descrevo como a associação deste clã aumenta a coesão social através das suas funções continuadas de prover valor estético e ser uma atração turística. Isso justifica a retenção contínua de edifícios e práticas históricas, apesar das mudanças sociais abrangentes, como a super-diversidade.

Publicado
2020-05-28
Edição
Secção
Artigos