IMPACTOS DE EVENTOS SECOS E CHUVOSOS NOS CORPOS DE ÁGUA PERIURBANOS SUBTROPICAIS:

CONTRIBUIÇÃO PARA O ORDENAMENTO DA ÁREA URBANA DE CORRIENTES (ARGENTINA )

Resumo

O conhecimento da resposta hidrológica de lagoas urbanas subtropicais a diferentes eventos de seca ou inundação é essencial para orientar as políticas sustentáveis de gestão do espaço urbano. A província de Corrientes (Argentina) apresenta uma paisagem caracterizada pela localização de inúmeras lagoas subtropicais nas margens das quais se constroem estruturas urbanas. Neste contexto, o estudo da variabilidade das chuvas, juntamente com os seus efeitos sobre esses corpos de água, é crucial para gerar um sistema de alerta precoce, a fim de reduzir os riscos de inundação. Portanto, o objetivo deste estudo foi analisar a variabilidade das chuvas de Corrientes e as mudanças morfométricas das lagoas e charcos subtropicais em caso de eventos extremos de seca, inundações e eventos normais de chuva. Para isso, foram analisadas séries históricas de precipitação para o período de 1962 a 2018, fornecidas pelo Serviço Nacional de Meteorologia (Argentina), e foram aplicados os métodos normal, quintil e Índice de Precipitação Padronizado para analisar eventos secos, húmidos e normais. Posteriormente, com a análise das imagens de satélite Landsat e Google Earth, foi estudada a evolução das áreas construídas durante eventos secos e seu impacto em eventos chuvosos. Os resultados mostraram que esses corpos de água periurbanos apresentaram uma estreita relação com os eventos pluviométricos, respondendo imediatamente à variabilidade climática local e expondo as frentes da cidade em áreas periurbanas a ocupar espaços correspondentes a lagoas. As mesmas podem reduzir o seu tamanho ou secar, mesmo em anos extremos de inundação.

Publicado
2020-08-14
Secção
Artigos