A expansão do processo de digitalização durante a pandemia de Covid-19 

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18055/Finis20350

Resumo

Apresentam-se e analisam-se quantitativamente dados estatísticos sobre a expansão do processo de digitalização da vida quotidiana nas perspectivas global e portuguesa, entre os meses de março e maio de 2020 em comparação com o trimestre anterior (dezembro de 2019 e janeiro e fevereiro de 2020). Esse recorte temporal corresponde ao período de confinamento no qual a pandemia da COVID-19 (causada pelo SARS-COV-2) encaminhou cerca de 4,5 mil milhões de pessoas para casa, como uma das medidas restritivas
para evitar o aumento da taxa de contágio da doença causada pelo novo coronavírus. Como alternativa para a manutenção das relações sociais, os meios de comunicação digitais tiveram um aumento considerável de utilização e de inserção na vida quotidiana de indivíduos e instituições sociais. Nosso objetivo é, portanto, registar e analisar quantitativamente a penetração do digital no quotidiano. Para a nossa recolha de dados, tomámos como referência principal as informações fornecidas a partir da plataforma SimilarWeb. Para análise, recorremos aos Estudos da Mediatização, os quais procuram compreender as mudanças
sociais e culturais promovidas pelos e nos media. Como resultado, podemos afirmar que houve uma maior utilização dos meios digitais em todo o mundo e em Portugal, principalmente, das redes sociais no trimestre selecionado em comparação com o anterior.

Biografia Autor

Élmano Ricarte, Instituto de Comunicação, Universidade Nova de Lisboa

Doutor em Ciências da Comunicação na Faculdade de Ciências Humanas - Universidade Católica Portuguesa. Graduado em Comunicação Social habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte UFRN, com graduação sanduíche na Universidade Católica Portuguesa em Lisboa. Mestre pelo Programa de Pós-graduação de Estudos da Mídia da UFRN. Integrante do Grupo de Estudos BOAVENTURA - CCHLA/ UFRN, em convênio com a Universidade de Coimbra-Portugal. Membro da Rede de Pesquisadores em Folkcomunicação - Rede FOLKCOM. É coordenador adjunto do Grupo de Trabalho de Jovens Investigadores da SOPCOM – Associação Portuguesa de Ciências da Comunicação. Atualmente, realiza um pós-doutoramento em Ciências da Comunicação, no Instituto de Comunicação, da Universidade Nova de Lisboa. E é ainda bolseiro (BGCT/ FCT) do Gabinete de Comunicação do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território (IGOT) e do Centro de Estudos Geográficos (CEG), da Universidade de Lisboa. E-mail: ricarteazevedo@gmail.com

Downloads

Publicado

2020-11-11