Let's talk! Clinical research project of therapeutic occupation activities on conversation and social interaction

  • Carlos Melo-Dias Escola Superior de Enfermagem de Coimbra (ESEnfC); Investigador responsável do Projeto PBE-MENTAL (Prática Baseada na Evidência em Enfermagem de Saúde Mental e Psiquiátrica) na UICISA-E (Unidade de Investigação em Ciências da Saúde-Enfermagem); Centre for Evidence Based Practice: A JBI Collaborating Centre, Portugal
  • Cândida Canotilho Centro Hospitalar Universitário de Coimbra – Unidade de Reabilitação do CRI de Psiquiatria e Unidade de Cuidados Avançados de Esquizofrenia Resistente ao Tratamento (UCAERe-T), Coimbra, Portugal.
  • Delfim Sousa Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, Coimbra, Portugal
  • Glória Pereira Centro Hospitalar Universitário de Coimbra – Unidade de Reabilitação do CRI de Psiquiatria e Unidade de Cuidados Avançados de Esquizofrenia Resistente ao Tratamento (UCAERe-T), Coimbra, Portugal
  • Joaquim Ferreira Enfermeira/o Especialista ESMP, CHUC – Unidade de Reabilitação do CRI de Psiquiatria e Unidade de Cuidados Avançados de Esquizofrenia Resistente ao Tratamento (UCAERe-T),
  • Jorge Façanha Centro Hospitalar Universitário de Coimbra – Unidade de Reabilitação do CRI de Psiquiatria e Unidade de Cuidados Avançados de Esquizofrenia Resistente ao Tratamento (UCAERe-T), Coimbra, Portugal.
  • Amorim Rosa Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, Coimbra, Portugal
  • Alberto Pinto Enfermeiro Especialista ESMP, Professor Adjunto na Escola Superior de Enfermagem de Coimbra (ESEnfC),
  • Ana Carvalho Centro Hospitalar Universitário de Coimbra – Unidade de Reabilitação do CRI de Psiquiatria e Unidade de Cuidados Avançados de Esquizofrenia Resistente ao Tratamento (UCAERe-T), Coimbra, Portugal.
  • Joaquim Rodrigues Centro Hospitalar Universitário de Coimbra – Unidade de Reabilitação do CRI de Psiquiatria e Unidade de Cuidados Avançados de Esquizofrenia Resistente ao Tratamento (UCAERe-T), Coimbra, Portugal
Keywords: Nursing, Conversation, Therapeutic Occupation Activities, Personal and Social Functioning, Rehabilitation

Abstract

Introduction: Impairments in thought processes, perception, interaction skills, and social functioning are common in individuals with schizophrenia. The Therapeutic Occupation Activities (TOA) promote, prevent, empower, and recover their social skills and appropriate verbal and nonverbal behaviors. This study reviews the evidence on the relevance, effectiveness, and benefits of this learning and training.

Development: A single-case experimental study was conducted with individuals with schizophrenia admitted to the Rehabilitation Unit (UCAERe-T), with the purpose of assessing the effectiveness of the structured TOA program of Conversation and Social Interaction for learning and training communication/conversation skills with individuals with schizophrenia.

Conclusion: This continuous improvement project, in both areas related to clinical research and outreach partnership services, intends to improve several clinical outcomes, namely personal and social functioning, social involvement, social interaction skills, personal well-being, interpersonal behavior, mood equilibrium, motivation, self-esteem, and personal autonomy, as well as achieve production indicators.

References

Aguiar, C., Moiteiro, A., Correia, N., & Pimentel, J. (2011). Desenhos de investigação de sujeito único em educação especial. Análise Psicológica, XXIX(1), 167-178.

Bellack, A. (2004). Skills Training for people with severe mental illness. Psychiatric Rehabilitation Journal, 27, 4.

Briddon, J., Richards, D., & Lovell, K. (2003). Common Health Mental Health Problems. Retreived from: http://www.jcn.co.uk/journal.asp?MonthNum=08&YearNum=2003&Type=backissue&ArticleID=614

Brissos, S., Palhavã, F., Marques, J., Mexia, S., Carmo, A., Carvalho, M., & ... Figueira, M. (2011). The Portuguese version of the Personal and Social Performance Scale (PSP): reliability, validity, and relationship with cognitive measures in hospitalized and community schizophrenia patients. Social Psychiatry and Psychiatric Epidemiology The International Journal for Research in Social and Genetic Epidemiology and Mental Health Services, 45, 7.

Burgess, P., Harris, M., Coombs, T., & Pirkis, J. (2017). A systematic review of clinician-rated instruments to assess adults' levels of functioning in specialised public sector mental health services. Aust N Z J Psychiatry, 4(51), 338-354. doi:10.1177/0004867416688098

Canotilho, C. (2017). Formação em Habilidades de conversação para interação Social de doente com Esquizofrenia na Unidade de Reabilitação de Doentes Difíceis. Um estudo Pré-Experimental [Dissertação de Mestrado]. Coimbra: ESEnfC – Escola Superior de Enfermagem de Coimbra.

CNRSSM. (2007). Comissão Nacional para a Reestruturação dos Serviços de Saúde Mental: Proposta do Plano da Acção para a Reestruturação e Desenvolvimento dos Serviços de Saúde Mental em Portugal. Retreived from: http://www.hmlemos.min-saude.pt/docs/PNacSM2007.pdf

Coelho, C., Silva, C., Silvério, J., & Palha, A. (2002). Treino de habilidades sociais aplicado a pessoas com esquizofrenia. Psiquiatria Clínica, 23(3), 205-215.

Correia, N., Daniel J., & Aguiar, C. (2014). Desenhos de investigação A-B-A-B: Uma abordagem experimental para a avaliação de intervenções em contextos naturais. Laboratório de Psicologia, 1(12), 15-30. doi: 10.14417/lp.619

Corry, M., Clarke, M., While, A., & Lalor, J. (Sep de 2013). Developing complex interventions for nursing: a critical review of key guidelines. J Clin Nurs, 22(17-18), 2366-2386. doi:10.1111/jocn.12173

Evans, J., Gast, D., Perdices, M., & Manolov, R. (2014). Single case experimental designs: Introduction to a special issue of Neuropsychological Rehabilitation. Neuropsychological Rehabilitation, 3-4(24), 305-314. doi:10.1080/09602011.2014.903198

Kadzin, A. (1983). Single-Case Research Designs in Clinical Child Psychiatry. Journal of the American Academy of Child Psychiatry, 5(22), 423-432.

Kratochwill, T., Hitchcock, J., Horner, R., Levin, J., Odom, S., Rindskopf, D., & Shadish, W. (2013). Single-Case Intervention Research Design Standards. Remedial and Special Education, 34(1), pp. 26-38. doi:10.1177/0741932512452794

Melo-Dias, C. (2014). Investigar habilidades de conversação em adultos com esquizofrenia. . In E-book IV Congresso Internacional ASPESM. Sequeira, C.; Carvalho, J.C.; Sá, L. (Eds.) (2014). IV Congresso Internacional ASPESM: Padrões de Qualidade em Saúde Mental, (pp. 58-69). Porto.

Melo-Dias, C. (2015). Habilidades de conversação em adultos com esquizofrenia [Tese de Doutoramento]. Porto: Universidade Católica Portuguesa, Instituto de Ciências da Saúde. Retreived from: http://hdl.handle.net/10400.14/19361

Melo-Dias, C. (2016). Generalização de habilidades de conversação em doentes com esquizofrenia – uma análise crítica. Revista Investigação em Enfermagem, 14, 8-17.

Melo-Dias, C. (2019). Melhorar habilidades de conversação em adultos com esquizofrenia [Comunicação livre]. Livro de Resumos do Congresso internacional de saúde mental e psiquiatria – evidência e práticas na promoção do recovery (equipa de investigação do projeto intercomunicare). Universidade do Minho - Braga.

Melo-Dias, C., & Silva, C. (2015). Esquizofrenia. Revista Investigação em Enfermagem, 10, 69-76. Retreived from: http://www.sinaisvitais.pt/index.php/revista-de-investiga-publicacoes-80/rie-serie-2/695-rie-10

Melo-Dias, C., & Silva, C. (2015b). Habilidades de conversação em adultos com esquizofrenia [Comunicação livre]. Em Vieira, Araújo, & Deodato (Ed.), 9.º Seminário Internacional de Investigação em Enfermagem, Livro de Atas,, Instituto de Ciências da Saúde – Universidade Católica Portuguesa, (p. 42). Porto.

Melo-Dias, C., Rosa, A., & Pinto, A. (2014). Atividades de Ocupação Terapêutica – intervenções de enfermagem estruturadas em reabilitação psicossocial. Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental, 11,15-23.

Melo-Dias, C., Rosa, A., & Pinto, A. (2016). Reasoning and planning of therapeutic occupation activities. Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental, 63-70.

Moorhead, S., Johnson, M., Maas, M., & Swanson, E. (2010). NOC – Classificação de Resultados de Enfermagem (4ª edição ed.). Elsevier Editora.

OMS – Organização Mundial de Saúde. (2001). A saúde mental pelo prisma da saúde pública. Relatório sobre a saúde no mundo 2001: Saúde mental: nova concepção, nova esperança. Genebra: OPAS/OMS.

Ordem dos Enfermeiros (2011a). Regulamento das Competências Específicas do Enfermeiro Especialista em Enfermagem de Saúde Mental (Regulamento n.º 129/2011). 35, 8669-8673. Diário da República, 2.ª série.

Ordem dos Enfermeiros - Conselho de Enfermagem (2001). Padrões de qualidade dos cuidados de enfermagem. Ordem dos Enfermeiros.

Peyroux, E., & Franck, N. (2016). Improving Social Cognition in People with Schizophrenia with RC2S: Two Single-Case Studies. Front. Psychiatry, 7(66). doi: 10.3389/fpsyt.2016.00066

Santos, M. (2000). Esquizofrenia: perspectivas actuais de reabilitação psicossocial. Psicologia, XIV,91-109.

Smith, J. (2012). Single-case experimental designs: a systematic review of published research and current standards. Psychol Methods, 4(17), 10–50. doi:doi:10.1037/a0029312

Stapleton, D., & Hawkins, A. (2015). Single-case research design: an alternative strategy for evidence-based practice. Athl Train Educ J., 10(3), 256–266.

Stuart, G. (2013). Principles and practice of psychiatric nursing. St Louis, Missouri, USA: Mosby-Elsevier.

Tate, R., Perdices, M., Rosenkoetter, U., Shadish, W., Vohra, S., Barlow, D., & … Wilson, B. (2016). The Single-Case Reporting Guideline. In Behavioural Interventions (SCRIBE) 2016 Statement. Journal of Clinical Epidemiology, 73, 142-152.

Townsend, M. C. (2011). Enfermagem de Saúde Mental e Psiquiátrica: Conceitos de Cuidado; a Prática Baseada na Evidência. Lusociência.

Vagos, P., & Pereira, A. (2010). Escala de Comportamento Interpessoal: Adaptação para a língua portuguesa. Laboratório de Psicologia, 8(1), 37-49.

Vagos, P., Pereira, A., & Arrindell, W. (2014). Validação da versão reduzida da Escala de Comportamento Interpessoal para adolescentes portugueses. Psicologia: Reflexão e Crítica, 27(3), 452-461. doi:http://dx.doi.org/10.1590/1678-7153.201427305

Published
2019-09-30
Section
Life and Healthcare Sciences