PROJOVEM: Relações e Implicações do Programa na Vida de Jovens Brasileiros

Authors

  • Lucas Andrade Ananias
  • Nara Vieira Ramos

Keywords:

juventude, educação, comunidade, políticas públicas, PROJOVEM

Abstract

Este trabalho teve por objetivo refletir sobre as atividades do Programa PROJOVEM a partir do problema “Quais as implicações das ações desenvolvidas pelo PROJOVEM no cotidiano de jovens participantes do programa?”. O PROJOVEM é um espaço de convivência e formação que direciona as suas ações com base na cultura juvenil em seu território, perpassando as relações escolares, familiares e comunitárias. O serviço destina-se a jovens entre os 15 e os 17 anos, residentes em territórios de vulnerabilidade social, beneficiários do Programa Bolsa Família, uma política de transferência de renda que beneficia famílias em situação de pobreza e extrema pobreza no Brasil. Esta política procura expandir a escolaridade, mas, como condicionalidade para o recebimento do benefício, o jovem precisa ser incluído na escola e comprovar a sua frequência em sala de aula, além de participar de atividades educativas e comunitárias. Esta pesquisa desenvolveu-se em um município de médio porte do sul do Brasil com um grupo de onze jovens, com carga horária semanal de doze horas. Foi utilizada como metodologia a observação participante em uma abordagem qualitativa. Autores com quem dialogamos neste trabalho: Dayrell (2003), Frigotto (2004), Abramo (2005), Sposito (2008), entre outros. Alguns resultados: os jovens inseridos no PROJOVEM participaram ativamente das propostas, além de sugerirem temáticas de seus interesses para serem trabalhadas. Muitas das discussões realizadas trouxeram questões e reflexões provindas das vivências familiares, escolares e comunitárias, denotando a existência de relações e implicações das ações do programa no cotidiano dos jovens.

References

- Abramo. H. W. (2005). Condição juvenil no Brasil contemporâneo. In: H. W. Abramo & P. P. M. Branco (Orgs.). Retratos da juventude brasileira: análises de uma pesquisa nacional. (pp. 37-72). São Paulo: Instituto Cidadania / Fundação Perseu Abramo.

- Carrano, P. C. R., Dayrell, J. T., Correa, L. M., Sales, S. R., Alves, M. Z., Oliveira, I. T. M. & Nonato, S. P. (2013). Formação de professores do Ensino Médio, etapa I - caderno II: O jovem como sujeito do Ensino Médio. Curitiba: UFPR/Setor de Educação.

- Dayrell, J. T. (2003). O jovem como sujeito social. Revista Brasileira de Educação, n.º 24, pp. 40-52 (set-out-nov-dez.). Rio de Janeiro: ANPEd.

- Faleiros, V. de P. (2006). Juventude/Juventudes no Brasil. In: Simpósio Internacional Sobre Juventude, Violência, Educação e Justiça. Porto Alegre/The University of Texas.

- Fanfani, E. T. (2000). Culturas jovens e cultura escolar. Documento apresentado no seminário “Escola Jovem: um novo olhar sobre o ensino médio”, organizado pelo Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Coordenação-Geral do Ensino Médio. Brasília. De 7 a 9 de junho de 2000.

- Frigotto, G. (2004). Juventude, trabalho e educação no Brasil: perplexidades, desafios e perspectivas. In: P. Vannuchi & R. Novaes (Orgs.). Juventude e sociedade. (pp. 180-216). São Paulo: Instituto Cidadania / Fundação Perseu Abramo.

- Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas.

- IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2011). Censo demográfico 2010. Recuperado em 06 junho, 2014, de <http://www.ibge.gov.br/home/>.

- Lassance, A. (2005). Brasil: jovens de norte a sul. In: Abramo, H. W.; Branco, P. P. M. (Orgs.). Retratos da juventude brasileira: análises de uma pesquisa nacional. (pp. 37-72). São Paulo: Instituto Cidadania / Fundação Perseu Abramo.

- Lei Nº 10.748 de 22 de Outubro de 2003. (2003). Cria o Programa Nacional de Estímulo ao Primeiro Emprego para os Jovens – PNPE. Brasília, DF, 22 out. 2003. Recuperado em 17 fevereiro, 2014, de <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.748.htm>.

- Lei Nº 10.836 de 9 de Janeiro de 2004. (2004). Cria o Programa Bolsa Família e dá outras providências. Brasília, DF, 9 jan. 2004. Recuperado em 22 abril, 2014, de <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2004/lei/l10.836.htm>.

- Lei Nº 11.129 de 30 de Junho de 2005. (2005). Institui o Programa Nacional de Inclusão de Jovens – PROJOVEM. Brasília, DF, 30 jun. 2005. Recuperado em 17 fevereiro, 2014, de <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Lei/L11129.htm>.

- Lei Nº 11.692 de 10 de junho de 2008. (2008). Dispõe sobre o Programa Nacional de Inclusão de Jovens – PROJOVEM. Brasília, DF, 10 jun. 2008. Recuperado em 20 abril, 2014, de <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11692.htm>.

- Manfredi, S. M. (2002). Educação profissional no Brasil. São Paulo: Cortez.

- Minayo, M. C. de S. (2007). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. (29ª ed.). Petrópolis: Vozes.

- MTE - Ministério do Trabalho e Emprego (2014). A história do MTE. Recuperado em 20 abril, 2014, de <http://www2.mte.gov.br/institucional/historia.asp>.

- Novaes, R. (2003). Juventude, exclusão e inclusão social: aspectos e controvérsias de um debate em curso. In: M. V. de Freitas &. F. de C. Papa (Orgs.) 2003. Políticas públicas: juventude em pauta. (pp. 165-179). São Paulo: Cortez.

- Pereira, S. M. & Zientarski, C. (2011). Políticas de ações afirmativas e pobreza no Brasil. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, v. 92, pp. 493-515 (set./dez.). Brasília: INEP.

- Piovesan, F. (2006). Ações afirmativas e direitos humanos. Revista da Faculdade de Direito. v. 1, pp. 36-43). São Paulo: Universidade de São Paulo.

- Quivy, R. & Campenhoudt, L. V. (1998). Manual de investigação em ciências sociais. (2ª ed.). Lisboa: Gradiva.

- Ribeiro, E. & Lânes, P. (2006). Diálogo nacional para uma política pública de juventude. Rio de Janeiro: Ibase; São Paulo: Pólis.

- Severino, A. J. (2007). Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Cortez.

- Sposati, A. (2009). Modelo brasileiro de proteção social não contributiva: concepções fundantes. In: Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) (Org.). Concepção e gestão da proteção social não contributiva no Brasil. Brasília.

- Sposito, M. P. (2008). Juventude e educação: interações entre educação escolar e a educação não-formal. Educação e realidade, v. 33, n. 2, pp. 83-97 (jul./dez). Porto Alegre: Faculdade de Educação - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

- Triviños, A. N. S. (2010). Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas.

Published

2016-02-01

Issue

Section

Articles