Adesão ao Rastreio do Cancro do Colo do Útero e da Mama da Mulher Portuguesa

Authors

  • Manuela Ferreira
  • Sofia Ferreira
  • Nuno Ferreira
  • Joana Andrade
  • João Duarte

Keywords:

vigilância da saúde sexual e reprodutiva, cancro da mama, cancro do colo do útero

Abstract

Enquadramento: O aumento das doenças
oncológicas na mulher é uma preocupação, tanto pelo impacto
na sua qualidade de vida, como nos indicadores de saúde e nos
custos, assumindo por isso vital importância a adesão das
mulheres ao rastreio precoce.
Objetivos: Identificar os fatores associados à adesão
das mulheres à vigilância de saúde sexual e reprodutiva.
Método: Trata-se de um estudo de natureza
quantitativa, não experimental, descritivo, correlacional e
transversal, com uma amostra constituída por 522 mulheres,
com idades compreendidas entre os 18 e os 67 anos, que
frequentam os cuidados de saúde primários portugueses, no
ACES Dão Lafões.
Resultados: As mulheres que participaram no 

estudo tem uma média de idade ≤ 30 anos (25,7%), possuem
maioritariamente o ensino secundário (38,5%), são casadas ou
em união de facto (62,8%), têm nacionalidade portuguesa
97.7%, residem com o companheiro (72,8%), e a maioria tem
2 filhos (33.9%).
Verificámos que os grupos etários, o estado civil, o
agregado familiar, as habilitações literárias, a profissão e o
número de filhos foram preditores da adesão à vigilância de
saúde sexual e reprodutiva. A realização do autoexame da
mama e os conhecimentos acerca do cancro do colo do útero
mostraram ser preditores da adesão à vigilância de saúde
sexual e reprodutiva.
Conclusão: Os profissionais de saúde devem adotar
práticas de rastreio e promover decisões informadas e seguras
para a saúde das mulheres. As recomendações médicas para
realização do autoexame da mama e citologia, bem como as
características sociodemográficas, devem ser consideradas
pelos profissionais de saúde na promoção da saúde sexual e
reprodutiva da mulher.

References

- Anttila, A., Ronco, G., Clifford, G., Bray, F., Hakama, M., Arbyn M. & Weiderpass, E. (2004). Cancer of

the cervix screening programmes and policies in 18 european countries. British Journal of Cancer, 91,

-941. doi:10.1038/sj.bjc.6602069

- Areias, P. (2011). Comportamentos de adesão ao rastreio do cancro do colo do útero. Dissertação de

mestrado não publicada. Viseu: Instituto Politécnico de Viseu.

- ARS Norte - Administração Regional de Saúde do Norte, Departamento de Estudos e Planeamento, Coordenação

Regional dos Rastreios Oncológicos. (2009). Programa de rastreio do cancro do colo do útero na região norte. Porto:

ARSN. Acedido em: <http://portal.arsnorte.min-saude.pt/portal/page/portal/ARSNorte/Conte%C3%BAdos/

Planeamento%20Estrategico/Rastreios/RCCU%20-%20Programa.pdf>.

- Brawley, L. R. & Culos-Reed, S. N. (2000). Studying adherence to therapeutic regimens: Overview,

theories, recommendations. Controlled Clinical Trials, 21(5Suppl), 156S-163S.

- Cantara, S. (2002). O cancro da mama. Parlamento Europeu. Nota informativa Nº STOA 515 EN.

PE nº 311.198. Acedido em http://europarl.eu.int/stoa /publi/pdf/briefings/515.pt.pdf.

- Castellsagué, X., Díaz, M., Sanjosé, S., Muñoz, N., Herrero, R., Franceschi, S. et al. (2006). Worldwide

human papilloma virus etiology of cervical adenocarcinoma and its co-factors: Implications for screening

and prevention. Journal of the National Cancer Institute, 98(5), 303-315. Acedido em:

<http://jnci.oxfordjournals.org/content/98/5/303.full.pdf>.

- Comissão das Comunidades Europeias. (2008). Implementação da recomendação do Conselho, de 2 de

Dezembro de 2003, sobre o rastreio do cancro (2003/878/CE): Relatório da Comissão ao Conselho, ao

Parlamento Europeu, ao Comité Económico e Social e ao Comité das Regiões. Bruxelas. Acedido em:

<http://ec.europa.eu/health/ph_determinants/genetics/documents/com_2008_882.pt.pdf>.

- Champion, V. L. & Scott, C. R. (1997). Reliability and validity of breast cancer screening belief scales in

African American women. Nursing Research, 46(6), 331-337.

- Conner, M. & Norman, P. (1996). Predicting health behavior. England: Open university press.

- DGS - Direção Geral da Saúde, Direção de Serviços de Planeamento (2002). Rede de Referenciação

Hospitalar de Oncologia. Lisboa: DGS. Disponível em <http://www.dgs.pt/planeamento-desaude/

hospitais/redes-referenciacao-hospitalar/rede-de-referenciacao-hospitalar-de-oncologia-pdf.aspx>.

- DGS - Direção Geral da Saúde, Comissão técnica de vacinação (2008a). Programa nacional de vacinação

(HPV): Introdução de vacina contra infeções por vírus do papiloma humano. Texto de apoio à circular

Normativa nº22/DSCS/DPCD, de 17 de outubro de 2008. Lisboa: DGS. Disponível em:

<http://www.dgs.pt/upload/membro.id/ficheiros/i010242.pdf>.

- DGS - Direção Geral da Saúde. Comissão técnica de vacinação (2008b). Vacinação contra infeções por

vírus do papiloma humano (HPV). Lisboa: DGS. Disponível em: <http://www.dgs.pt/documentos-epublicacoes/

vacinacao-contra-infeccoes-por-virus-do-papiloma-humano-hpv-pdf.aspx>.

- Harrison et al. (1997). Medicina interna. (12ª ed.). Vol.2. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

- INE (2012) - Instituto Nacional de Estatística, IP. Portal de internet para acesso à informação produzida

pelo INE. Disponível em: <http://www.ine.pt>. Consultado em Outubro de 2012.

- Janz, N., Champion,V. & Strecher, V. (2002). The health belief model. In K. Glanz, B. K. Rimer & F. M. Lewis

(Eds.). Health behavior and health education: Theory, research and practice. (3ªed.). San Francisco: Jossey-Bass.

- Lagerlund, M., Sparen, P., Thurfjell, E., Ekbom, A. & Lambe, M. (2000). Predictor sofnon- attendance in a

population-based mammography screening programme; sociodemographic factors and aspects of health

behaviour. European Journal of Cancer Prevention, 9(1), 25-33.

- Longo, D. L., Kasper, D. L., Jameson, J. L., Fauci, A. S., Hauser, S. L., Loscalzo, J. & Machado, P. H.

(Orgs.). (1997). Medicina interna de Harrison. (12ª ed.). Vol. 2.). Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

- Lostao, L., Joiner, T. E., Pettit, J. W., Chorot, P. & Sandin, B. (2001). Health belief sandillness attitudes as

predictors of breast cancer screening attendance. European Journal of Public Health, 11(3), 274-279.

- Malheiro, S. M. A. M. G. (2009). Cancro do colo do útero: Conhecimentos e comportamentos. Ponte de

Lima: Universidade Fernando Pessoa.

- MS (2007) - Ministério da Saúde, Alto-comissariado da saúde, Coordenação nacional para as doenças

oncológicas. Plano Nacional de Prevenção e Controlo das Doenças Oncológicas 2007/2010 (PNPCDO).

Orientações Programáticas. Lisboa: Direção Geral da Saúde. Disponível em:

<http://www.portaldasaude.pt/NR/rdonlyres/F1EE7092-2F30-4987-9A46-D7F105854521/0/PNPCDO_2007.pdf>.

- Ogden, J. (2004a). Compreender o cancro da mama. Lisboa: Climepsi.

- Ogden, J. (2004b). Psicologia da saúde. (2ªed.). Lisboa: Climepsi.

- OMS - Organización Mundial de la Salud. (2004a). Adherencia a los tratamentos a largo plazo: Pruebas

para la acción. Acedido em <http://www.paho.org/spanish/AD/DPC/NC/nc-adherencia.pdf>.

- OMS - Organización Mundial de la Salud. (2004b). Programas nacionales de control del câncer: Politicas

y pautas para la gestión. (2ª ed.). Ginebra: Organización Panamericana de la salud.

- Otto, S. E. (2000). Enfermagem em oncologia. Loures: Lusociência.

- Pais, M. & Cabral, V. (2003). Estudo sobre comportamentos de risco. Lisboa: Instituto Português da Juventude.

- Pasick, R. J. & Burke, N. J. (2008). A critical review of theory in breast cancer screening promotion across

cultures. Annual Review of Public Health, 29, 351-368. doi:10.1146/annu rev. Publhealth.29.020907.143420

- Patrão, I. & Leal I. (2002). Comportamentos de adesão ao rastreio do cancro do colo do útero: Estudo

exploratório numa amostra do centro de saúde de Peniche. Psicologia, Saúde & Doenças, 3(1), 103-112.

Acedido em <http://www.sp-ps.com>.

- Pereira, A. C. M. (2008). Promoção de comportamentos de saúde: Intervenção diagnóstica no cancro da

mama. Dissertação de mestrado não publicada. Aveiro: Universidade de Aveiro. Acedido em

<http://ria.ua.pt/bitstream/10773/1044/1/2009001352.pdf>.

- Pereira, A. C., Pereira, A. & Rodrigues, V. (2009). Comportamentos de saúde: O rastreio do cancro da

mama. In J. Bonito (Ed.). Educação para a saúde no século XXI: Teorias, modelos e práticas, (Vol. 2), pp.

-464). Évora: Fergráfica - Artes Gráficas.

- Reis, M. A. & Teixeira, J. A. C. (2000). Rastreio oncológico: Adesão das mulheres ao autoexame da mama.

In J. L. Pais-Ribeiro, I. Leal & M. R. Dias (Eds.). Psicologia da saúde nas doenças crónicas. Actas do 3º

Congresso Nacional de Psicologia da saúde. Lisboa: ISPA. Pp. 505-519.

- Rosenstock, I. M. (1974). The health belief model and preventive health behavior. Health Educ Monogr,

(4), 354-386.

- Secginli, S. & Nahcivan, N. O. (2006). Breast self examination remains an important component of breast

health: A response to Tarrant. International Journal of Nursing Studies, 43(4), 521-523. doi: DOI:

1016/j.ijnurstu. 2006.02.002

- Serrano, C. M. P. & Pires, P. M. D. F. (2004). O enfermeiro e a doente submetida a cirurgia da mama.

Nursing, 189, 33-37.

- Silva, C. M. C, Paiva, H. M. C. C & Vasconcelos, R. F. P. L. (2005). Adesão das mulheres ao auto-exame

da mama. Monografia do ano complementar de formação em enfermagem, não publicada. Viseu: Instituto

Politécnico de Viseu.

- Silva, D. P. (2010). O cancro do colo do útero não escolhe ideias: A prevenção também não. In

Passapalavra. Acedido em <http://www.passaapalavra.com/>.

- Sousa, M. R., Peixoto, M. J. & Martins, T. (2008). Satisfação do doente diabético com os cuidados de

enfermagem: Influencia na adesão ao regime terapêutico. Revista Referencia, 8, 59-67.

- Trindade, I. & Teixeira, J. A. C. (2002). Abordagem psicológica do cancro nos cuidados de saúde primários. In M. R.

D. E. Durá (Coord.). Territórios da psicologia oncológica. Lisboa: Climepsi editores. Pp. 29-49.

- Zagalo-Cardoso, J. A. & Rolim, L. (2005). Aspectos psicossociais da medicina preditiva: Revisão da

literatura sobre testes de riscos genéticos. Psicologia, Saúde & Doenças, 6(1), 3-34. Acedido em:

<http://www.scielo.gpeari.mctes.pt/pdf/psd/v6n1/v6n1a01.pdf>.

Published

2016-02-01

Issue

Section

Articles