The scene representation in the new brazilian historical nove – reading the novels a república dos bugres and conspiração barroca, of ruy reis tapioca

  • Cristiano Mello Oliveira
Keywords: scene representation, New Brazilian Historical Novel, Ruy Reis Tapioca, A República dos Bugres (1999), Conspiração Barroca (2008)

Abstract

The scene representation in the New Brazilian Historical Novel has aroused little interest of literary criticism. The urban morphology consisting of houses, mansions, palaces, castles, churches, bridges, public parks, transportation and cities is characterized and described as the time of context. Many writers analyze historical textbooks, documents of the period, archives, museums, in an attempt to represent or (re)create the background of historical scenes formulated. The novels A República dos Bugres (1999) and Conspiração Barroca (2008) of the bahian writer Ruy Reis Tapioca combine up as literary works dating back past history, recovering the prevailing assumptions in the eighteenth and nineteenth centuries, including the arrival of the Portuguese Royal Family and the Minas Conspiracy. This article scrutinizes how the historical setting is represented in these novels, identifying the form and content working through the outline of the narrative descriptions. In order to support our reflection we turn to the contributions of: Lowenthal (1998), Bury (2006), Pons, (1996), White (1992), among others. The contribution of this article aims to expand the aesthetic look into this matter as exciting and not yet fully explored by the academic world.

References

•Bastos, Alcmeno(2007). Introdução ao Romance Histórico. Rio de Janeiro: UERJ.

• Bury, John (2006). Arquitetura e arte no Brasil colonial. Organização de Myriam Andrade Ribeiro. Brasília, DF: IPHAN/Monumenta. Disponível em <http://portal.iphan.gov.br/files/johnbury.pdf>. Acesso em 5 jan. 2015.

• Carneiro, Flávio (2005).No país do presente. Ficção brasileira no início do século XXI. Rio de Janeiro: Rocco.

• Coutinho, Afrânio (1976).Introdução à Literatura no Brasil. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

• Chaves, CasteloBranco(1979). O romance Histórico no Romantismo Português. Amadora: Instituto deCultura Portuguesa.

• DaMatta, Roberto (1990). A casa e a rua. Rio de Janeiro: Rocco.

• Dimas, Antônio (1989). A retomada do romance histórico brasileiro. Jornal da Tarde, de 19 ago. 1989. São Paulo.

• Dosse, François (2001). A história à prova do tempo. São Paulo: Unesp.

• Eco, Umberto (1985). Pós-escrito a O Nome da Rosa. São Paulo: Nova Fronteira.

• Eco, Umberto (1988). Obra aberta. São Paulo: Perspectiva.

• Eco, Umberto (1999). Seis passeios pelos bosques da ficção. São Paulo: Companhia das Letras.

• Eco, Umberto (2012). O nome da Rosa.Tradução de Aurora Fornoni Bernadini e Homero Freitas deAndrade. Rio de Janeiro: BestBolso.

• Esteves, Antônio Roberto (2010). O romance histórico brasileiro contemporâneo(1975-2000). Assis: UNESP.

• Gomes, Laurentino (2013). 1889. São Paulo: Globo.

• Julia, Mercedes (2006). Las ruinas del pasado: aproximaciones a la novela histórica posmoderna.Madrid: Ediciones de La Torre.

• Krammer, Lloyd S. (1992). Literatura, crítica e imaginação histórica: O desafio de Hayden White e Dominick LaCapra. In: Hunt, Lynn. A nova história cultural. São Paulo: Martins Fontes.

• Le Goff, Jacques(2005). História e Memória. Campinas: Editora da Unicamp.

• Lowenthal, David (1998). Como conhecemoso passado. Projeto História, vol. 17. Tradução Lúcia Haddad. São Paulo. Disponível em <http://revistas.pucsp.br/index.php/revph/article/view/11110/8154>. Acesso em 5 jan, 2015.

• Marinho, Maria de Fátima (1999). O romance histórico em Portugal. Porto: Campodas Letras.

• Marinho, Maria de Fátima (2004). Um poço sem fundo. In: Um poço sem fundo. Novas reflexões sobre Literatura e História. Porto: Campo das Letras.

• Marinho, Maria de Fátima (2009). Tentação diabólica – sob o signo da ficção. In: História romanceada ou ficção documentada. Faculdade de Letras: Universidade de Lisboa.

• Marinho, Maria de Fátima (2006). Considerações sobre o Romance Histórico enquanto gênero. In: O gênero literário - Norma e Transgressão. Munchen: Martin Meidenbauer.

• Maxwell, Kenneth (1985). A devassa da devassa. A Inconfidência Mineira: Brasil e Portugal 1750-1808.Rio de Janeiro: Paz e Terra.

• Meirelles, Cecília (2010). Romanceiro da Inconfidência. São Paulo: L&M Pocket.

• Menton, Seymour (1993). La Nueva Novela Histórica de La América Latina 1979-1992. México: Fondo de cultura econômica.

• Nascimento, Naira de Almeida (2006). Da narrativa ao romance: a prosa da Guerra do Paraguai nos limites da ficção (histórica) contemporânea. Curitiba: UFPR. Tese de Doutorado não publicada. Disponível em:<http://dspace.c3sl.ufpr.br:8080/dspace/handle/1884/16923>. Acesso em 5 jan. 2015.

• Oliveira,Wilton Fred Cardoso (2005). Imaginários de nação no romance brasileiro contemporâneo: Os rios inumeráveis e a República dos Bugres. Florianópolis, UFSC. Tese de doutorado não publicada. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/102600/222380.pdf?sequence=1>.

• Pimentel, Luz Aurora (2001). El espacio en la ficción. La representación del espacio en los textos narrativos. Mexico: Siglo Veintiuno Editores.

• Pons, Maria Cristina (1996). Memorias del Olvido. Del Paso, García Márquez, Saer y la novela histórica de fines del siglo XX. México: Siglo Veintiuno Editores.

• Prieto, CéliaFernandez (2003).Historia y novela: poética de la novela histórica. Navarra: Eunsa.

• Prieto, Célia Fernandez (1996). Poética de la novela histórica como género literario. Signa: Revista de la Asociación Española de Semiótica, n.º 5, pp 185-202.ISSN 1133-3634. Disponível em: <http://www.cervantesvirtual.com/obra-visor/signa-revista-de-la-asociacion-espanola-de-semiotica--13/html/dcd92ce0-2dc6-11e2-b417-000475f5bda5_27.html>.

• Reis, Carlos & Lopes, Ana Cristina (1987). Dicionário de Narratologia. Coimbra: Almedina.

• Resende, Beatriz (2008). Contemporâneos.Expressões da Literatura Brasileira no século XXI. RiodeJaneiro: Casa da Palavra.

• Silva Geysa (2000). Nova história, novo romance. In: Boechat,Maria Cecília Bruzzi, Oliveira, Silvana Maria Pessoa &Oliveira, Paulo Motta. Romance histórico: recorrências e transformações.Belo Horizonte: FALE/UFMG, pp. 179-184.

• Santos, Luís Gonçalves (2013). Memórias para servir à História do Reino do Brasil.Prefácio e notas deNoronha Santos. Brasília: SenadoFederal.

• Tapioca, Ruy Reis (1999). A República dos Bugres. Rio de Janeiro: Rocco.

• Tapioca, Ruy Reis(2008). Conspiração Barroca. Lisboa: Saída de Emergência.

• Theodoro, Janice (1992). América Barroca. Temas e variações. São Paulo: Edusp.

• Trouche, André Luiz Gonçalves (2006). América: história e ficção. Niterói, RJ, Eduff.

• Weinhardt, Marilene (2007). A República dos Bugres: a Atenas da América ou uma Botucúndia. Portuguese Cultural Studies, 1. Acesso em 5 jan. 2015. Disponível em: <http://www2.let.uu.nl/solis/psc/p/PVOLUMEONEPAPERS/P1WEINHARDT.pdf>.

• Weinhardt, Marilene (2011).Outros palimpsestos: ficção e história -2001-2010. In: João Luis Ourique,João Manuel Cunha &Gerson Neumann(Orgs). Literatura Crítica Comparada.Pelotas: Gráfica Universitária UFPEL.

• Weinhardt, Marilene (2004). Ficção Histórica e Regionalismo. Estudos sobre os romances do Sul. Curitiba: Editora da UFPR.

• White, Hayden (1992). Metahistória.São Paulo: Edusp.

• White, Hayden (1994). Trópicos do discurso. São Paulo: Edusp.

• Zubiaurre, Maria Teresa (2000). El espacio en la novela realista. Paisages, miniaturas e perspectivas. Cidade do México: Fondo de Cultura Económica.

Imagens

• Imagem 1: Capa do romance Conspiração Barroca. Disponível em:

<http://www.saidadeemergencia.com/produto/conspiracao-barroca>. Acesso em 10 de maio de 2015.

• Imagem2: Capa do romance A República dos Bugres. Disponível em: http://www.travessa.com.br/A_REPUBLICA_DOS_BUGRES/artigo/b552a3ab-d33b-4b0b-a933-e93968993c45. Acesso em 11 de maio de 2015.

• Imagem 3: Rio Antigo -Cais do largo do Paço -Chafariz do mestre Valentim. Disponível em: <http://literaturaeriodejaneiro.blogspot.com.br/2006/11/imagens-do-rio-antigo.html>. Acesso em 11 de maio de 2015.

• Imagem 4: Porto Real de Lisboa –séculos XVIII e XIX -atual Terreiro do Paço –Disponível em: <http://marinhadeguerraportuguesa.blogspot.com.br/2014/03/o-porto-real-de-lisboa.html>. Acesso em 11 de maio de 2015.

• Imagem 5: Panorama da Gamboa, Rio de Janeiro c. 1865. Georges Leuzinger/Acervo Instituto Moreira Salles –Disponível em: <http://www.faap.br/hotsites/panoramas>. Acesso em 11 de maio de 2015.

• Imagem 6: Interior da Igreja São Francisco de Assis –atual cidade de Ouro Preto-MG-Disponível em: <http://www.adrianofagundes.com/minas-gerais>. Acesso em 11 de maio de 2015.

Published
2016-07-04
Section
Articles